English

Texto: 

TAM - Taxi Aéreo Marília
A história da Tam começou em 1961 quando dez pilotos se uniram para levar passageiros e cargas entre o norte do Paraná e o sul de São Paulo e Mato Grosso, nascia ai a TAM (Taxi Aéreo Marília) com uma frota composta de quatro Cessna 180 e um Cessna 170. Seis anos depois a Tam foi vendida para o grupo Ometto e mudou sua sede para São Paulo.
Em 1966 a companhia adquiriu suas primeiras aeronaves bi-motores, entre elas o Piper Navajo.
Em 1971 a empresa estava com prejuízo e Orlando Ometto, principal acionista da empresa, convidou Rolim para ser sócio da companhia. Rolim Adolfo Amaro era um dos pilotos e era apaixonado por aviação e pela Tam. Rolim Amaro acabou ficando todas as ações da empresa. Ele renovou a frota da Tam com dez Cessna 402 e tornou a companhia lucrativa.
Em 1974 a Tam recebeu o seu primeiro jato, dois Learjets.
A TAM - Taxi Aéreo Marília, posteriormente se transformou em Tam Jatos Executivos. Em 2008 a marca foi atualizada para Tam Aviação Executiva.

 

Tam Regional
Em novembro de 1975 o governo percebeu que as companhias aéreas estavam abandonando suas rotas regionais e focando nas rotas mais lucrativas entre as grandes cidades e com isso muitas cidades do interior estavam ficando sem serviço aéreo. Sendo assim o governo criou a SITAR (Sistema Integrado de Transporte Aéreo Brasileiro) com objetivo de desenvolver a aviação regional em todas as regiões do país. Cinco companhias regionais ficariam responsáveis por cinco regiões distintas no país. Rolim Amaro e a Vasp se uniram para criar a Tam Regional, companhia regional que ficou responsável por atender os estados de São Paulo, norte do Paraná e o sul do Mato Grosso. A Tam Regional começou a operar no interior de São Paulo em julho de 1976, com uma frota de seis Embraer EMB-110 Bandeirantes. A frota e as instalações aeroportuárias foram pagas pela Vasp, que detinha um terço da companhia. 
Em janeiro de 1980 chegou o primeiro de sete Fokker F-27 e a Tam Regional começou a ligar os aeroportos centrais: CongonhasPampulha e Santos Dumont.
Em 1986 a Tam Regional comprou a Votec, que passou a se chamar Brasil Central Linha Aérea Regional, mais conhecida como BR Central. Com isso a Tam se expandiu para o Centro-Oeste e o Norte do Brasil. Rolim Amaro fazia questão que a empresa se destacasse pelo serviço de alta qualidade e a companhia lançou o slogan "The Magic Red Carpet" (O Mágico Tapete Vermelho). Em 1989 os passageiros eram recebidos por um tapete vermelho e por toda a tripulação na porta da aeronave, e muitas vezes pelo próprio Rolim. Com tantos diferenciais, a Tam foi a primeira e única companhia aérea da América Latina eleita a "Regional do Ano" pela revista Air Transport World. Com uma grande participação no mercado regional, a Tam continuou aprimorando seus serviços e inovando com o lançamento de novos produtos para seus passageiros. Após o Fokker F-27, foram incorporados na frota os Fokker F-50. No início da década de 90 a Tam Regional começou a operar o seu primeiro jato, o Fokker F-100. Os F-100 se mostraram "máquinas de fazer dinheiro" e a Tam trouxe mais de cinqüenta do tipo! A Tam foi a segunda maior operadora do mundo de F-100, só perdendo para a American Airlines. Foi nesse momento que a Tam começou a despontar e a incomodar as grandes Varig, Vasp, Transbrasil e, principalmente, a Rio Sul (subsidiária da Varig), que se tornou a sua principal concorrente.
Em 1993 a Tam inovou lançando o primeiro programa de fidelidade da América Latina, o Tam Fidelidade.
Foi em 1996 que a Tam deu o maior salto de sua história. A companhia comprou 80% da LAPSA e criou a Tam Mercosur, finalmente entrando no mercado internacional. Mas a grande novidade do ano foi a encomenda de novas aeronaves Airbus. A Tam, juntamente com a Lan e Taca, encomendaram 150 aeronaves Airbus. A Tam não só encomendou os A319 e A320, como cinco A330-200 para voos internacionais. Esse foi sem duvidas um marco histórico não só para Tam, que deu um grande "salto", mas para o Brasil que voltou ter aeronaves Airbus depois de mais de vinte anos dos A300 da Varig e Vasp. A Tam foi uma das primeiras companhias aéreas do mundo a operar o A330-200.

 

Tam Meridional
Em 1996 a Tam obteve concessão para operar no Aeroporto Internacional de Guarulhos e  por isso a BR Central se transformou na Tam Meridional. A Tam Meridional operava Fokkers F-100 e voava diariamente para as principais capitais brasileiras e posteriormente para destinos internacionais.
Em 1998 a Tam Meridional recebeu o primeiro A330-200 e iniciou voos para Miami.
Em 1999 a empresa também iniciou voos para Paris em Code-Share com a Air France.
Em 2000 a Tam Meridional foi absorvida pela Tam Linhas Aéreas.

 

Tam Linhas Aéreas
Em 2000 a Tam Meridional, Tam Express e Tam Regional foram incorporadas pela Tam Linhas Aéreas. A Tam Express havia sido criada em 1998, quando a Tam comprou a Itapemirim Transportes Aéreos Regionais e a Helisul Linhas Aéreas.
Em 1999 a empresa recebeu seus primeiros Airbus A319, que foram introduzidos nas linhas de São Paulo para Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Navegantes, Brasília e Belo Horizonte. No início do terceiro trimestre de 1999 a Tam introduziu seus A319 na "Super Ponte TAM", que ligava São Paulo ao Rio de Janeiro com um serviço inovador: duas classe diferentes (econômica e executiva). Os passageiros de ambas as classes recebiam um tratamento diferenciado e tinham a sua disposição monitores de vídeo para o entretenimento a bordo. 
No início do ano de 2000 a Tam recebeu seus primeiros A320 e lançou uma nova pintura, agora a cauda da aeronave também era vermelha.
Em 2001 a Tam recebeu autorização para operar para Madrid e Frankfurt (rotas que a Vasp tinha deixado de servir). Nesse ano foram iniciadas operações para Buenos Aires, Frankfurt e Montevidéu. A rota para Frankfurt ainda prosseguia para Zurique. Mas com os atentados de 11 de setembro, a empresa teve que recuar no mercado internacional.
Em 2002 as rotas para Frankfurt e Montevidéu foram canceladas e alguns A330-200 ficaram "sem rotas". Em 2003 quatro deles foram alugados para as empresas Ethiad Airlines e SAA. Além da crise no setor aéreo, a Tam sofreu com a repercussão de vários acidentes com os seus Fokker 100. A imagem da empresa e principalmente da aeronave foi "arranhada" e com isso a Tam acelerou a substituição do F-100 pelos Airbus. Somente em 2002, metade dos F-100 foram aposentados.
Em 2003 a empresa anunciou um acordo com a Varig para operação de voos Code-Share, o que seria o primeiro passo para uma eventual fusão. A Tam nessa altura já era a segunda maior companhia aérea do Brasil e intenção era se fundir com a Varig, que estava "soterrada" em dívidas. A fusão não deu certo, mas a Tam ganhou mais passageiros. Muitos passageiros que só viajavam pela Varig, quando voaram Tam viram aeronaves mais novas e com mais opções de entretenimento. O Code-Share melhorou a ocupação das duas companhias, mas sem dúvidas a Varig perdeu passageiros para Tam no final do acordo. Em 2003 a Tam tirou a liderança da Varig no mercado nacional. No início a Tam passou somente a Varig, ou seja, se somássemos as participações da Rio Sul e da Nordeste, o grupo Varig ainda era o líder. Porém com as constantes reduções de frota e malha e a fusão da Rio Sul e Nordeste com a Varig, a Tam acabou se tornando a líder absoluta no mercado em poucos meses.
Em novembro de 2005 iniciou o voo Rio de Janeiro - São Paulo - Nova York e São Paulo - Recife - Paris.
Em 2006 a empresa iniciou voos para Lima e Londres e voos diretos entre Buenos Aires e Rio de Janeiro. Em agosto de 2006 passou a ser a maior companhia aérea do Brasil e da América Latina. Com o colapso da Varig, a Tam já era a líder de longe no mercado nacional e se aproximava vagarosamente da Varig no mercado internacional. Porém em julho metade da frota da Varig "ficou no chão" e a Tam passou facilmente a Varig também no mercado internacional. Em julho de 2006 foi iniciado o voo Fortaleza - Belém - Manaus - Miami com um A320.
Em 1 de novembro de 2006 a Tam surpreendeu ao encomendar pela primeira vez em sua história aeronaves da Boeing: oito novos Boeing 777-300ER. A companhia estudava o A340 e o B777 e acabou optando pelo Boeing. Uma das vantagens que a Boeing ofereceu foi o aluguel, por um preço baixíssimo, de três MD-11 (ex-Varig) até a chegada dos primeiros B777.
Em 2007, sem a Varig, a companhia iniciou uma forte expansão internacional. Em janeiro iniciou o segundo voo diário para Santiago. Em fevereiro chegou o primeiro MD-11 e as rotas para Paris foram ampliadas. Em 30 de março a Tam inaugurou voos para Milão. E abril foi iniciado o voo São Paulo - Manaus - Caracas. Em 21 de maio iniciou voos para Montevidéu. Em 29 de junho foi assinado um Memorando de Entendimento para a aquisição de vinte e dois novos Airbus A350XWB. A Tam foi a primeira companhia aérea da América Latina a encomendar o A350XWB. Em agosto foram iniciados voos para Frankfurt e o voo São Paulo - Salvador - Paris. Em setembro recebeu os dois primeiros A321. Em outubro recebeu dois A340-500, pois com tantos voos internacionais novos, faltou aeronave. Os A340 eram ex-Air Canada e foram oferecidos a um baixo preço de leasing pela Airbus. Em 21 de dezembro foi a vez do voo para Madrid ser inaugurado.
Em dezembro de 2007 o comandante David Barioni Neto (ex-Gol) foi escolhido para substituir Marco Bologna na presidência da empresa. Especula-se que os principais motivos para a saída de Bologna foram o acidente com o A320 em Congonhas e as medidas para diminuir os custos. A principal concorrente da Tam no inicio dos anos 2000 era a Varig. Porém a Varig estava em sérias dificuldades financeiras e diminuía a frota e as rotas a cada mês. Uma concorrente a altura surgiu em 2001, a Gol. No inicio não incomodou muito, mas em apenas três anos a Gol já era a segunda maior no mercado nacional e passou a ser a principal concorrente da Tam. Os custos da Gol eram muito menores que os da Tam e para se tornar mais competitiva e poder diminuir o preço das passagens e aumentar a receita, a Tam tomou uma série de medidas para cortar custos. Entre elas o fim da classe executiva nos voos nacionais e a reconfiguração das aeronaves, aumentando a capacidade de passageiros. A primeira medida de Barioni foi lançar uma nova identidade visual na companhia e anunciar que a Tam ira voltar às origens, focando na excelência do serviço de bordo.
Em 2008 a nova identidade visual foi lançada em fevereiro. A frota da companhia chegou a 130 e a Tam passou a ser a maior companhia aérea por frota do Hemisfério Sul. Além disso a empresa anunciou a entrada na Star Alliance.
Em dezembro de 2009 a Tam comprou a Pantanal, que estava com dificuldades financeiras. Especulava-se que a Tam faria dela uma subsidiária regional. Mas com o passar do tempo, a Tam mostrou que o interesse era só nos Slots em Congonhas.
Em 13 de maio de 2010 a Tam finalmente entrou na Star Alliance, tornando-se a nova representante da aliança na América do Sul.
Em dezembro de 2010 a Tam lançou voos internacionais diretos de Belo Horizonte e Brasília para Miami e do Rio de Janeiro para Londres e Frankfurt, além de iniciar voos de São Paulo para Bogotá.
Em fevereiro de 2011, a Tam foi a primeira companhia da América Latina a encomendar o novos A320neo. Em outubro a companhia inaugurou o voos entre São Paulo e México. Em novembro a companhia aposentou os A340.

 

Latam Airlines
Em agosto de 2010 a Tam e Lan anunciaram o inicio das negociações para formar uma gigante no Hemisfério Sul. As duas maiores companhias aéreas da América Latina pretendiam se fundir e criar a LaTam. Oficialmente a Tam seria absorvida pela Lan, mas na prática as duas marcas continuariam existindo em seus respectivos países. A LaTam se tornaria uma das dez maiores companhias do mundo e além de gerar economia com a sinergia, a nova companhia teria muito mais fôlego para concorrer com as grandes companhias Americanas e Européias.
No dia 22 de junho de 2012 a Latam foi oficialmente criada. Sendo assim a Absa foi absorvida pela Tam Cargo. A partir de agosto de 2012 a Tam iniciou uma expansão dos voos para América do Sul e Estados Unidos: a oferta foi aumentada para Montevidéu, Buenos Aires, Lima, Santiago, Miami, Orlando e Nova York. Porém a companhia deixou de voar para Bogotá, em favor da Lan Colombia. Apesar do aumento de frequências para América do Sul e EUA, a Tam reduziu bastante os seus voos para Europa, incluindo todos os voos partindo do Rio de Janeiro. A Latam também iniciou processo de alinhamento da aliança global e da frota. No dia 13 de março de 2013 anunciou que a Tam iria sair da Star Alliance e entrar na OneWorld, a mesma aliança da Lan. A Latam também anunciou a padronização da frota de longo curso com aeronaves Airbus A350 e Boeing 787, acarretando a aceleração da aposentadoria dos A330 e troca das encomendas remanescentes do Boeing 777-300ER por Boeing 777-200F.
Em abril de 2013 a Lan e a Tam receberam o primeiro Airbus A320 equipado com Sharklet, que reduz o consumo de combustível. Em junho a Tam recebeu o primeiro Boeing 767-300ER ex-Lan, substituto do Airbus A330 até a chegada dos A350.
Em janeiro de 2014 a Tam recebeu o primeiro A321 com Sharklet. Em março entrou na OneWorld, porém a Tam manteve acordos com algumas companhias da Star Alliance. Em abril anunciou o fim da primeira classe em detrimento de uma classe executiva melhorada, o fim da classe executiva nos A320 e a introdução da Classe Econômica Premium, alinhando com a Lan.
Em 2015 a Tam fortaleceu o seu hub em Brasília, com novos voos nacionais e internacionais. A empresa anunciou voos para Toronto, Punta Cana, Punta Del Este, Barcelona e Cancún e mais frequências para Miami, Orlando e Madrid. Em julho a companhia anunciou o fim da classe executiva nos voos para a América do Sul e a sua substituição pela classe Econômica Premium, em mais um passo para o alinhamento com a Lan.
No dia 6 de agosto de 2015 a Tam e a Lan anunciaram a nova marca do grupo. A partir de 2016 todas as empresas do grupo passariam a se chamar Latam.
No dia 18 de dezembro de 2015 a Tam se tornou a primeira companhia aérea das Américas e a quarta no mundo a operar o mais novo modelo da Airbus, o A350. O primeiro voo comercial ocorreu em janeiro de 2016, na rota São Paulo - Manaus. Em março, o A350 assumiu a rota São Paulo - Miami e, em abril, a rota São Paulo - Madri.
No inicio de 2016 a crise econômica enfrentada pelo Brasil atingiu em cheio os voos comerciais. A Tam anunciou uma forte redução das frequências no mercado internacional, incluindo o fim dos voos para Cancún e dos voos entre Belo Horizonte e Miami e Brasília, Miami e Orlando.
Em abril de 2016 os programas de passageiro frequente Tam Fidelidade e Lan Pass iniciaram o processo de unificação, passando a se chamar Latam Fidelidade e Latam Pass, respectivamente. Também em abril ocorreu o último voo do A330 na Tam, que fez sua despedida na rota São Paulo - México.
No dia 5 de maio de 2016 a marca Latam nasceu. Os sites Tam e a Lan foram unificados sob o domínio latam.com e nesse mesmo dia decolaram os três primeiros voos comerciais com a marca Latam.

> Clique aqui para ver LATAM

 

Resumo:

TAM - Taxi Aéreo Marília: Empresa de taxi aéreo, criada em 1961 por pilotos em Marília, no interior de São Paulo. A empresa foi vendida para o grupo Ometto e posteriormente para Rolim Amaro, um dos pilotos da empresa. A Tam Jatos Executivos foi a continuação da Tam "original". Em 2008 a marca foi atualizada para Tam Aviação Executiva.

Tam Regional: Começou a operar em 1976 e atuava em todo o interior paulista, no Paraná e no Mato Grosso do Sul com aeronaves EMB-110. Nos anos 80 a empresa cresceu com aeronaves Fokkers F-27 e comprou outras companhias regionais. Na década de 90 chegaram os jatos Fokker F-100. Em 2000 a empresa foi incorporada pela Tam Linhas Aéreas.

Tam Meridional: A TAM Meridional foi criada em 1996 e foi feita para operar os voos internacionais do grupo. Na verdade a BR Central é quem virou TAM Meridional. A empresa operou com Fokker F-100, A319, A320 e A330-200. Em 2000 foi absorvida pela Tam Linhas Aéreas.

Tam Express/Tam Cargo: A TAM Express foi criada através da compra da empresa Helisul Linhas Aéreas e pela extinção da Brasil Central, que atuava no interior do país. A companhia chegou a voar para 24 cidades em todo o Brasil, com voos regulares para transporte de passageiros e cargas. A empresa operava somente aeronaves Cessna 208. Ela acabou sendo absorvida pela Tam Linhas Aéreas em 2000. Posteriormente TAM Express passou a ser o nome do braço cargueiro da Tam. Em 2008 a Tam Express passou a se chamar Tam Cargo.

Tam Linhas Aéreas: A TAM Linhas Aéreas foi criada com a chegada dos Fokker F-100 na empresa. No final da década a empresa também começou a operar aeronaves Airbus A319 e A320. A empresa era responsável pelos voos entre as capitais brasileiras. Em 2000 a Tam Linhas Aéreas absorveu todas as outras empresas do grupo.

Tam Mercosur/Tam Airlines: A TAM Mercosur iniciou suas operações em setembro de 1996, quando foram adquiridas 80% das ações da LAPSA, empresa aérea paraguaia. A TAM Mercosur obteve concessões para rotas internacionais na América do Sul e Europa a partir de Assunção (Paraguai), passando a voar para Lima, Santa Cruz de la Sierra, Ciudad del Este, Assunção, Santiago e Buenos Aires, entre outras cidades. Em 2008 a companhia passou a se chamar Tam Airlines. (Leia mais sobre Tam Mercosur, clicando aqui)

Pantanal: A Pantanal foi comprada pela Tam em dezembro de 2009. (Leia sobre a Pantanal, clicando aqui)

LATAM Airlines Group: O grupo LATAM foi criado oficialmente dia 22 de junho de 2012 e é formado pela união do grupo Lan e grupo Tam. (Leia mais sobre a LATAM, clicando aqui)

VOTEC / BR Central: A companhia aérea regional Votec foi comprada pela Tam em 1986. A companhia então foi rebatizada de Brasil Central (BR Central). As suas operações eram em toda a região Centro-Oeste e Amazônia. Inicialmente a companhia operava com aeronaves Fokker 27 e Embraer EMB-110, que foram substituídas por Cessna Caravan, em 1992. No final do ano de 1995 Helisul, empresa do Paraná, foi comprada pela Tam e no dia 12 de dezembro de 1996 a BR Central se transformou em Tam Meridional. A frota de Caravan foi transferida para a Helisul, que passou a se chamar Tam Express. A empresa deixou de existir em 2003. (Leia mais sobre a Votec, clicando aqui)

 

Pinturas:
Click here for full size photo! Click here for full size photo! Click here for full size photo! Click here for full size photo! Click here for full size photo! Click here for full size photo! Click here for full size photo! Click here for full size photo! Click here for full size photo!

Pinturas Especiais:

 

 Empresas do Grupo:
 

 

Logos Antigos:
 
 

 

Fundação: 1961 (como taxi aéreo) / 1976 (como companhia aérea)

Encerrou Atividades como Tam: 2016

Principais Aeroportos: Guarulhos, Congonhas, Galeão e Juscelino Kubitschek

Sede: São Paulo

Códigos: TAM / JJ (KK - usado por Tam Transportes Aéreos Regionais)

Aeronaves atuais da frota: Airbus A319, Airbus A320, Airbus A321, Airbus A350-900, Boeing 767-300ER, Boeing 777-300ER

Aeronaves já operadas: Airbus A330-200, Airbus A340-500, Cessna 208 Grand Caravan, Embraer EMB-110, Fokker F-27, Fokker F-50, Fokker F-100, McDonnel Douglas MD-11

Destinos nacionais: 40
Sul: Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina, Joinville, Navegantes. (7)
Sudeste: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, Campinas, Ribeirão Preto, São João do Rio Preto, Uberlândia. (8)
Centro-Oeste: Brasília, Goiânia, Campo Grande, Cuiabá, Palmas. (5)
Nordeste: Salvador, Aracaju, Maceió, Recife, João Pessoa, Natal, Fortaleza, São Luis, Teresina, Porto Seguro, Ilhéus, Imperatriz. (12)
Norte: Manaus, Porto Velho, Rio Branco, Boa Vista, Macapá, Belém, Marabá, Santarém. (8)

Destinos internacionais: Montevidéu, Punta Del Este, Buenos Aires, Córdoba, Rosário, Santiago, Assunção, Lima, Bogotá, Caracas, Miami, Orlando, Nova York, Toronto, Madrid, Barcelona, Paris, Londres, Milão, Frankfurt, México (21 cidades)

Destinos TAM Airlines: Assunção, Ciudad Del Este, Santa Cruz de La Sierra, Santiago, Buenos Aires, São Paulo, Rio de Janeiro. (7 cidades)

Destinos (total): 58

Destinos nacionais já servidos: Caxias do Sul, Chapecó, Cárceres, Rondonópolis, Santa Rosa, Erechim, Blumenau, Santa Cruz do Sul, Rio Grande, Varginha, Guarapari, Vilhena, Cacoal, Poço de Caldas, Barra do Garça, Maringá, Niquelândia, Minaçu, Gurupi, São Felix do Araguaia, São José dos Campos, Porto Nacional, Santa Terezinha, Vila Rica, Santana do Araguaia, Conceição do Araguaia, Redenção, Tucumã, Bauru, Marília, Araçatuba, São José do Rio Preto, Ourinhos, Araraquara, Urupungá, Dourados, Ponta Porá, Comrumbá, Uberaba, Ipatinga, Governador Valadare, Ji-Paraná, Comandatuba, Tucuri, Carajás

Destinos internacionais já servidos: Cancun, Cochabamba, Córdoba, Bariloche, Mendoza, La Paz, Zurique

Code-Share Internacional: LAN (iniciado em 2007), OneWorld (iniciado em 2014), AeroMexico, Air Canada (iniciado em 2008), Air China (iniciado em 2009), ANA (iniciado em 2010), American Airlines (encerrado em 2007/Iniciado novamente em 2013), Lufthansa (iniciado em 2007), South African Airways (iniciado em 2014), Swiss (iniciado em 2008), US Airways (iniciado em 2010), Turkish Airlines (iniciado em 2012), British Airways (iniciado em 2015)

Code-Share encerrados: Ai France (1999-2005), Passaredo (encerrado em 2010 / iniciado em 2015 novamente), NHT, Pluna (2007-2012), BMI (2009-2011), Continental (2010-2012), Spanair (2011-2012), Trip (encerrado em 2013), Pantanal (encerrado em 2013), STAR ALLIANCE (2010-2014), United (2007-2014), Tap (2007-2014)
 

 

> Frota da Tam

> Mapas de Rotas da Tam

> Propagandas da Tam

> Participação da Tam no mercado nacional, internacional e de carga

> Mais sobre a LATAM


 

 

Atualizado em junho de 2016

Aviação Comercial