Airbus A300-200 (A300B2 / A300B4)

O A300 foi o primeiro avião fabricado pela Airbus. O seu desenvolvimento foi iniciado em 1965 num estudo conjunto entre o Reino Unido e a França. A idéia era uma aeronave de grande porte para rotas curtas e médias. A Alemanha demonstrou interesse no projeto e se uniu aos dois países. Essa união desembocou na criação da Airbus Industries, em 1970. Mais tarde, em 1971, a empresa espanhola CASA entrou no consórcio.
O nome "Airbus 300" foi escolhido, pois estimava-se que a aeronave seria capaz de transportar trezentos passageiros. A configuração da aeronave acabou sendo alterada para reduzir os custos de desenvolvimento. O nome Airbus 250 então foi cogitado, mas a aeronave acabou sendo batizada de A300B. Foram produzidas apenas duas unidades da primeira versão (A300B1), pois era uma versão para testes. A versão para venda ficou conhecida como A300B2-100 ou A300-100.
No dia 28 de outubro de 1972 voava o primeiro bimotor de fuselagem larga do mundo e a primeira aeronave comercial da Airbus. Ele entrou em serviço em março de 1974 pela Air France.
Mais tarde foi lançada uma nova versão com melhorias aerodinâmicas, chamado de A300B2-200 (ou A300-200). Também foi lançada uma versão com maior alcance, o A300B4.
No inicio o A300 encontrou dificuldades para encontrar compradores, porém com o lançamento das versões melhoradas, as vendas começaram a explodir. O A300 começou a entrar no mercado americano e a incomodar a Lockheed, Douglas e Boeing, que lançou o Boeing 767 como resposta ao A300. A proposta da Airbus para o A300 era diferente das fabricantes americanas. O A300 era um wide-body feito para rotas curtas e média e não para rotas longas, porém esse foi o principal motivo para a dificuldade de achar compradores no começo. Com o avanço da tecnologia e a certificação ETOPS, o A300 pôde ser capaz de voar mais longe, conseguindo conquistar o interesse de mais companhias aéreas.
No Brasil a primeira companhia aérea a demonstrar interesse no A300 foi a Transbrasil. Em 1973 a companhia anunciou a encomenda de três unidades com financiamento da própria Airbus, mas o DAC não aprovou a encomenda. Mas tarde, em 1979, a
Varig anunciou a compra de quatro A300. Os dois primeiros chegaram em 1980 e operaram nas cores da Cruzeiro, em rotas para a América do Sul e domésticas. Os outros dois foram recebidos em 1981 e 1982 nas cores da Varig. As grandes vantagens do A300 no Brasil era que ele podia pousar no aeroporto de Congonhas (em São Paulo) e era muito silencioso. Apesar disso o A300 não ficou muito tempo na Varig, todos eles foram vendidos até 1990 e substituídos pelos Boeing 767. Quem operou por mais tempo o A300 no Brasil foi a Vasp, que recebeu as duas primeiras unidades em 1982 e o terceiro em 1983. Eles operaram principalmente em rotas domésticas, mas também chegaram a realizar algumas rotas internacionais. Em 2002 os A300 da Vasp deixaram de voar porque a empresa não tinha dinheiro para fazer a manutenção e assim permaneceram até a falência da empresa.

Operadoras no Brasil: Varig, Cruzeiro e Vasp


 


Fergal Goodman

Origem: Europa
Produção: de 1974-1989
Comprimento:
53,60 m
Envergadura: 44,84 m
Altura: 16,53 m
Peso da aeronave: 90 toneladas
Peso máximo de decolagem/pouso: 165/134 toneladas
Motores:
2x GE CF6-50 ou P&W JT9D-59A1
Capacidade de combustível: 62 mil litros
Velocidade de cruzeiro:
829 km/h (mach 0.78)
Velocidade máxima:
871 km/h (mach 0.82)
Altitude de cruzeiro: 10,6 km (35 mil pés)
Pista mínima para decolagem: 2,8 km
Tripulação: 12
Passageiros: 220 a 300
Primeiro voo: 1972
Concorrentes: Boeing 727, Tristar, DC-10
Alcance:
A300B2: 2700 km
A300B4:
6670 km
Companhia Lançadora: Air France
Comparar com outras aeronaves

E Modelo: Construídos: Ativos: Acidentes:
A300B1 2 0 0
A300B2 55 0 6
A300B4 188 12 17
TOTAL: 245 12 23


 

 

Airbus A300-600

Em 1980 a Airbus lançou o A300-600, versão aprimorada do bem sucedido A300. O A300-600 incorporou algumas melhorias aerodinâmicas e uso extensivo de compostos em sua fabricação. O A300-600 foi primeiro jato comercial, depois do Concorde, a utilizar os sistemas de comando "Fly-by-Wire". A parte final da fuselagem também foi modificada, permitindo a inclusão de duas fileiras extras de assentos. Mas tarde foi lançado também o A300-600R, que possui tanques extras no estabilizador horizontal, maior alcance e cabine de comando dotada de EFIS. O modelo também ganhou uma versão exclusivamente cargueira, conhecida como A300-600F. E com a produção do A380, a Airbus criou o A300-600ST (Super Transporter). Também conhecido como "Beluga", essa versão é o maior cargueiro já feito pela Airbus e foi feito especialmente para transportar partes da enorme fuselagem do A380. Depois de 35 anos o primeiro modelo da Airbus deixou de ser produzido. Em 2006 o a Airbus anunciou o fim da Família A300/A310.

 

 

Origem: Europa
Produção: de 1984-2007
Comprimento:
54,10
Envergadura: 44,84
Altura: 16,54
Peso da aeronave: 90 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 171/140 toneladas
Motores:
2x PW JT9-7R4HI ou GE CF6-80C2
Capacidade de combustível: 68,1 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 829 km/h (mach 0.78)
Velocidade máxima:
871 km/h (mach 0.82)
Altitude de cruzeiro: 12,2 km (40 mil pés)
Pista mínima para decolagem: 2,32 km
Tripulação: 11

Passageiros: 220 a 300
Primeiro voo: 1984

Alcance: 6670 km /
7540 km (A300-600R)
Concorrentes: Boeing 767, DC-10, Tristar
Substituído por: A330, Boeing 777
Companhia Lançadora: Saudi Arabian Airlines
Capacidade de carga
(versão F): 54,6 toneladas
Comparar com outras aeronaves

E Modelo: Construídos: Ativos: Acidentes:
A300-600 312 186 13
A300 Beluga 5 5  
TOTAL: 317 191 13

 

 

 

Airbus A310-200 / Airbus A310-300

Menos de 10 anos após o primeiro voo do A300, entrava operação o A310. O A310 é uma versão menor do A300. Junto com o A310, nascia na Airbus o conceito de "família de jatos" para começar a disputar nos diversos segmentos do mercado. E também o conceito de comunalidade; um piloto de A300 precisa de apenas um dia para pilotar um A310 e vice-versa. Inicialmente conhecido como Airbus A300B10, o A310 tem 13 seções a menos na fuselagem que o A300.
O A310-200 fez seu primeiro voo em abril 1982 e suas duas primeiras clientes foram a Swissair e a Lufthansa. O A310-200 também ganhou uma versão conversível, A310-200C, e uma versão totalmente cargueira, o A310-200F.
Em julho de 1985 a Airbus lançou uma versão melhorada do A310-200, o A310-300. A nova versão contava com tanques de combustível extra,
cabine de comando com EFIS, melhorias aerodinâmicas e motores mais econômicos. O A310-300 foi o primeiro avião do mundo a utilizar fibra de carbono em partes da deriva. A Família A300/A310 deixou de ser produzida em 2007.

Operadoras no Brasil: Bra, Passaredo e WhiteJets


AirNikon Collection-Pima Air and Space

 

Modelo: Construídos: Ativos: Acidentes:
A310-200 85 0 1
A310-300 170 53 13
TOTAL: 255 53 14

Origem: Europa
Produção: de 1983-2007
Comprimento:
46,66 m
Envergadura: 43,90 m
Altura: 15,80 m
Peso da aeronave: 79 toneladas (A310-200) / 82 toneladas (A310-300)
Peso máximo decolagem/pouso:
A310-200: 142/123 toneladas
A310-300: 164/124 toneladas
Motores:

A310-200: 2x
PWJT9D-7R4 ou CF6-80C2A2
A310-300:
2x PW4156A ou CF6-80C2A8
Capacidade de combustível:
A310-200: 54 mil litros
A310-300: 75 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 850 km/h (mach 0.80)
Velocidade máxima:
901 km/h (mach 0.84)
Altitude de Cruzeiro: 12,5 km (41 mil ft)
Pista mínima para decolagem:
A310-200: 1,8 km
A310-300: 2,2 km
Passageiros: 190 a 250
Tripulação: 10
Primeiro voo: 1982 (200) / 1984 (300)

Alcance:
A310-200:
6800 km
A310-300: 9600 km
Substituto de:  Boeing 727
Concorrentes:
Boeing 757,
Boeing 767, DC-10, Tristar
Substituído por: A330-200, Boeing 767, Boeing 787
Companhias Lançadoras:
SwissAir e Lufthansa

Capacidade de carga (versão 200F): 39 toneladas
Comparar com outras aeronaves

 

 

atualizado em 2017

Aviação Comercial