Texto: 

Em 26 de março de 1931 surgiu a SwissAir (Schweizerische Luftverkehr Aktiengesellschaft), resultado da fusão entre a Ad Astra Aero e Balair. A companhia nasceu com uma frota de treze aeronaves, quatro destinos nacionais e quatorze na Europa. Os primeiros voos regulares aconteceram em abril de 1932 com o Lockheed Orion, de Zurique para Munique e Vienna. Aliás o Lockheed Orion era o avião mais rápido da época (voava a 100 km/h). A SwissAir foi a primeira companhia européia a operar uma aeronave americana e a velocidade do Orion fez com que a Lufthansa pedisse para a Heinkel construir um avião tão rápido quanto.
Em 1934 foi a primeira companhia na Europa a ter aeromoças.
Em 1935 a empresa recebeu o seu primeiro DC-2. Com ele a companhia podia voar nas péssimas condições causadas pelo inverno europeu. Nessa época poucas companhias voavam para a região da Suíça no inverno.
Em 1939 a SwissAir suspendeu os serviços devido a Segunda Guerra Mundial. Depois da guerra, em 30 de julho de 1945, a empresa voltou a voar.
Em 1946 a SwissAir passou a ser a principal companhia da Suíça e recebeu o primeiro DC-4, com ele iniciou o primeiro voo transatlântico de Genebra para Nova York, em maio de 1947. O voo se tornou regular em 1949.
Em 10 de março de 1947 a SwissAir chegou pela primeira vez no Brasil, com o DC-4 na rota Genebra - Casablanca - Dakar - Natal - Rio de Janeiro - Montevidéu - Buenos Aires. Porém somente em 9 de dezembro de 1950 o primeiro voo regular para o Brasil foi iniciado, com o DC-6 na rota Zurique - Genebra - Lisboa - Dakar - Recife - Rio de Janeiro - São Paulo. O voo durava 31 horas, mas a companhia impressionava pela pontualidade e qualidade do serviço. Em 1957 o DC-6 foi substituído pelo DC-7 e a rota ficou mais rápida e curta, o voo passou a fazer somente uma escala em Dakar antes de chegar no Rio de Janeiro.
A companhia foi uma das primeira a encomendar aeronaves a jato e entrou na era do jato em 1960 com os primeiros DC-8-32. Logo depois do DC-8 veio o Caravelle III e depois o Convair 990 "Coronado". Esta última ficou famosa na companhia, pois era a aeronave mais rápida da época e na configuração da SwissAir a aeronave não tinha o assento do meio, o que gerava mais conforto para o passageiro. O CV-990 chegou a vir para o Brasil (Rio de Janeiro e São Paulo), mas foi substituído pelo DC-8-62, pois o Coronado tinha um alcance limitado. Com o DC-8 a SwissAir passou a operar em Campinas ao invés de São Paulo, pois o aeroporto de Congonhas era pequeno demais para os grandes jatos.
Em 1966 chegaram os DC-9-30. A Douglas ofereceu uma versão especial para a SwissAir, um pouco maior, conhecida como DC-9-32.
Em 1971 chegou o Boeing 747-200, o primeiro "wide-body" (fuselagem larga) da companhia. E em dezembro de 1972, o DC-10-30. O DC10 era a nova geração de jatos e os da SwissAir tinham uma configuração bem mais confortável (mais espaço entre as poltronas).
Na década de 80 a companhia recebeu os primeiros DC-10-30ER (longo alcance) e passou a voar para o Brasil exclusivamente com o DC10, em outubro de 1983. Nessa época a SwissAir também vinha para o Brasil com o Boeing 747-300, na alta estação.
Em 1975 a SwissAir foi a segunda companhia aérea a voar para China e foi a lançadora do DC-9-51.
Em 1977 a companhia lançou o DC-9-81, que virou o MD-81.
Em 1979 a SwissAir foi a primeira companhia a encomendar o Airbus A310-200, Boeing 747-300, Fokker 100 e o MD-11.
Na década de 80 a companhia ficou conhecida como "Flying Bank" (Banco Voador), devido a sua grande liquidez. Nessa época a companhia começou a diversificar seus investimentos em serviços aeroportuários e lojas Duty-Free.
Em 19 de agosto de 1991, após mais de quinze anos com o DC10, a SwissAir veio com o MD-11 para o Brasil pela primeira vez. A rota era Zurique - Genebra - Rio de Janeiro - Campinas.
Em 1992 a escala em Genebra foi cancelada e a SwissAir deixou de voar para Campinas para operar no aeroporto de Guarulhos. A SwissAir foi uma das últimas companhias a trocar Campinas por São Paulo. Em 1993 foram inaugurados os voos diretos entre Zurique e São Paulo. Em julho de 1994 a companhia deixou de voar para o Rio de Janeiro. Em 1996 a companhia voltou ao Rio, porém o voo fazia escala em São Paulo.
Em 1997 a companhia inovou na comemoração de 50 anos da primeira travessia do Atlântico. A SwissAir alugou um DC-4, o pintou como na época e fez voos pela Europa e dois voos transatlânticos, idênticos aos da época e com os comissários vestidos com os uniformes da época.
Em 2000 a companhia deixou de operar com o
MD-81, A310 e o Boeing 747.
Na década de 90 a companhia começou uma grande expansão com a sua holding SwissAir Group. A companhia estava com medo de ser engolida pela gigantes européias, pois não tinha espaço para crescer devido ao tráfego limitado de um pequeno país. Então a companhia começou a comprar participações em várias outras companhias, principalmente da Europa, entre elas a TAP e a Austrian Airlines. Porém esses investimentos foram a principal razão da sua falência. O grupo perdeu mais de 1 bilhão de dólares em 2000. Com o "rombo" o jeito foi vender os ativos da empresa, como a cadeia de hotéis Swissôtel. O dinheiro da venda do Swissôtel e outros ativos deu fôlego para a companhia, porém com os atentados de 11 de setembro de 2001, a companhia estava perdida.
Mesmo com a crise, a companhia não deixou de ser uma das melhores (para muitos a melhor) companhia aérea do mundo com pontualidade impecável, serviço de altíssima qualidade e conforto.
A empresa tentou uma fusão com a Crossair, a sua subsidiária que ainda tinha lucro, mas não aconteceu. Em outubro de 2001 o presidente da companhia anunciou a falência, mas os bancos suíços UBS e Credit Suisse, que eram os maiores credores, resolveram investir na companhia. Porém, no dia seguinte, um Airbus A321 foi retido em Londres por falta de pagamento de combustível. Com isso a empresa declarou a sua falência e cancelou todos os voos. O último voo da companhia foi o vindo de São Paulo com o
MD-11.
A população suíça ficou chocada e o governo decidiu emprestar 300 milhões de francos suíços para a companhia voltar a operar parte das rotas.
Em 31 de março de 2002 a Crossair assumiu o que restou da SwissAir e então surgiu uma nova companhia aérea denominada Swiss Internacional Air Lines.

 


A CrossAir fundada em novembro de 1978 e operava como subsidiária regional da SwissAir. A companhia chegou a ser a maior regional da Europa, operando mais de oitenta aeronaves. A CrossAir iria ser lançadora do Embraer E-170, mas com o colapso da SwissAir, a encomenda foi cancelada. Em 2002 a CrossAir se fundiu com o que sobrou da SwissAir e virou a Swiss Internacional Air Lines.

 

 


A primeira Balair foi uma companhia aérea fundada em 1925, na Suíça. Em 1931 ela se fundiu com a Ad Astra Aero e formou a SwissAir.
Em 1953 a SwissAir criou uma subsidiária com o mesmo nome. A iniciativa foi do governo da Basiléia que queria melhorar o aeroporto da região.
Em 1974 a companhia chegou à Nova York e Los Angeles.
Com a crise da SwissAir, a Balair foi vendida para o Grupo Hotelplan em 2001 e foi rebatizada como Belair.

 


A SwissAir Ásia foi fundada em 1995. O objetivo era criar voos para Taiwan, enquanto a SwissAir mantinha o voo para a China.

 

Evolução da empresa:

Logos antigos:

Outras empresas do grupo:

Pinturas:

 

Fundação: 1931
Encerrou as Atividades:
2002
País:
Suíça
Principais Aeroportos: Aeroporto Internacional de Zurique, Aeroporto Internacional de Genebra - Cointrin.

Sede: Zurique
Códigos: SWR / SR
Destinos: 157
Destinos no Brasil:
Recife, Natal, Campinas, Rio de Janeiro e São Paulo

 

> Frota:

> Histórico de Frota:

E
Aeronave 1955 1960 1965 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2002

SWISSAIR

Airbus A310             6 9 10  
Família A320                   41
Airbus A330                   13
Boeing 747         2 2 4 5 5  
Caravelle     9 4            
Convair 240/440 7 11 11              
Convair 990     8 6            
DC-3 13 8 3              
DC-4 3                  
DC-6 6 8                
DC-7   5                
DC-8     4 9 8 8        
DC-9/MD-80       18 27 33 28 22 24  
DC-10         8 11 11 10    
MD-11                 13 19
Fokker 100               8 10  
TOTAL: 29 32 35 37 45 54 49 54 62 73

CROSSAIR

Airbus A320                   8
Avro RJ-85                 4 4
Avro RJ-100                   15
BAe 146-200                 3  
BAe 146-300                 2  
Cessna           6        
Embraer ERJ-145                   19
Fokker F-50                 5  
Fairchild Metro           3 9      
MD-80                   9
Saab 340             5 19 22 2
Saab 2000                 7 29
Piper J-3           1        
TOTAL:          

10

14 19 43 86

 

> Histórico de Aeronaves:

E

Aeronave:

Período: Total de unidades: Passageiros:
Fokker VII (A e B) 1931-1950 9 8 a 10
Dornier Merkur 1931-1935 2 7
Messerschmitt M18D 1931-1938 1 4
Comte AC-4 1931-1947 1 2
Lockhhed 9 Orion 1932-1936 2 4
Clark 43 1934-1936 2 10
Curtiss 32 1934-1934 1 15
Douglas DC-2 1934-1952 6 14
Junkers JU-86 1936-1939 2 10
De Havilland Dragon Rapide 1937-1954 3 5
Douglas DC-3 1937-1969 16 21
Mraz K-65 1948-1950 1 2
Nord 1000 1948-1953 1 3
Douglas DC-4 1946-1959 5 44 a 55
Convair 240 1949-1957 8 40
Douglas DC-6 1951-1962 8 69
Douglas DC-7 1956-1962 5 75
Convair 440 1956-1968 12 44
Scottish Twin Pioneer 1957-1957 1 16
Sud Aviation Caravelle 1960-1971 9 80
Douglas DC-8-32 1960-1967 3 132
Convair 880 1961-1962 2 100
Convair 990 1962-1975 8 100
Douglas DC-8-53 1963-1876 2 142
Fokker 27 1965-1972 3 44
Douglas DC-9-15 1966-1968 5 75
BAC 1-11 1968-1969 3 89 a 100
Douglas DC-9-32 1967-1988 22 95
Douglas DC-8-62 1967-1984 7 152
Boeing 747-200B 1971-1984 2 361
Douglas DC-10-30 1972-1992 14 237
Douglas DC-9-40 1974-1975 4 110
Douglas DC-9-50 1975-1988 12 120
Douglas DC-9-81/MD-81/82/83 1980-1998 26 129 ou 156 ou 161
Airbus A310-200 1983-1995 5 204
Boeing 747-300 / Combi 1983-2000 5 396 (18+66+312) / 265 (18+66+181)
Airbus A310-300 1985-2000 6 175 (16+54+105) ou 204 (45+159)
Fokker 100 1988-1996 6 85
McDonnell Douglas MD-11 1991-2002 16 239 (12+49+178)
Airbus A321-100 1995-2002 12 170 (76+94)
Airbus A320-200 1995-2002 20 138 (52+86)
Airbus A319 1996-2002 9 116 (45+71)
Airbus A330-200

1998-2002

16 232 (10+48+174)

 

> Mapa de Rotas:

ANO: 1936

 

ANO: 1958 / ROTAS - EUROPA

ANO: 1958 / ROTAS - GLOBAL

 

DESTINOS SWISSAIR


 

 

Atualizado em junho de 2014

Aviação Comercial