Companhias Aéreas Que Operam No Brasil

I

Criada em 1997, a Cielos Del Peru iniciou operações em 1998 com dois Boeing 707-300 e voos entre o Peru e os Estados Unidos (Miami). Em outubro de 1998 a companhia recebeu um DC-10-30 e um MD-11.
Em 2000 os Boeing 707 foram vendidos para a Skymaster Airlines.
Em 2001 a companhia começou a voar para Campinas e Curitiba.
Em 2002 recebeu o segundo DC-10-30 e em 2005 chegaram mais dois DC-10-30.
Em 2012 a frota da companhia chegou a ter dez aeronaves. Porém desde então a frota foi sendo reduzida e as aeronaves foram devolvidas ou estocadas. Até o fim do ano, a Cielos Airlines já não tinha mais nenhuma aeronave em operação.

Evolução da empresa:

Fundação: 1997
País:
Peru

Sede: Lima
Principal Aeroporto: Aeroporto Internacional José Chaves

Aeronaves já operadas: Boeing 707-300, Douglas DC-8-30, Douglas DC-10-30, McDonnell Douglas MD-11
Destinos no Brasil:
Campinas (Curitiba - não opera mais)
Destinos:
22


Atualizado em agosto de 2015

I

A Condor Airlines começou a operar em 21 de dezembro de 1955 com três Vickers Vikings 1B.
Em 1960 foi comprada, em parte, pela Lufthansa e passou a ser conhecida como "Condor Flugdienst".
Em 1965 chegou o primeiro jato da empresa, um Boeing 727.
Em 1966 a Condor começou os primeiros voos de longa distância para Bangkok, Ceilão, República Dominicana e Kenva. Todas essas operadas com o Boeing 707.
Em 1969 a companhia renovou a frota com Boeing 737-100 e DC-8, passando a operar somente jatos.
Em 1971 a companhia introduziu o Boeing 747-200 nas rotas para Mallorca e Ceilão.
Em 1972 a Condor chegou em Nova York com o 747.
Em 1979 os 747 foram substituídos pelos DC-10-30.
Em 1983 a companhia renovou a frota com aeronaves Airbus A300 e A310 e poucos anos depois com o Boeing 737-300.
Em 1989 o Muro de Berlim caiu e a companhia passou a fazer voos fora de Berlim e recebeu novos Boeing 757.
Em 1991 chegaram os 767-300ER.
Em março de 2003 a companhia foi comprada pela Thomas Cook e mudou se nome para Condor Berlin e depois somente Condor.
Em fevereiro de 2008 a Thomas Cook anunciou a compra da participação da Lufthansa na companhia e passou a ser o dono de 100% da maior companhia charter do país.

Evolução da empresa:
Logos:

Pinturas:

 

Fundação: 1955
País:
Alemanha

Sede: Kelsterbach
Principal Aeroporto: Aeroporto Internacional Frankfurt am Main

Aeronaves já operadas: Airbus A300B4, Airbus A310-200, Airbus A310-300, Boeing 707-300, Boeing 707-400, Boeing 727-100, Boeing 727-200, Boeing 737-100, Boeing 737-200, Boeing 737-300, Boeing 737-500, Boeing 737-700, Boeing 747-200, Boeing 747-400, Boeing 757-200, Convair CV-440, Douglas DC-8-30, Douglas DC-8-70, Vickers Viscount 800
Destinos no Brasil:
Salvador, Recife, Fortaleza (Rio de Janeiro - não opera mais)
Destinos:
80

 

> Frota:

E
Aeronave: Ativos: Inativos: Idade Média: Encomendas: Passageiros:
Airbus A320 9   17 anos   174
Airbus A321 7   4 anos   210
Boeing 757-300 13   17 anos   265
Boeing 767-300ER 19   21 anos   268 ou 270
TOTAL: 48 0 17 anos 0 -

 

Atualizado em dezembro de 2016

I

A Air Italy começou a operar em 29 de Maio de 2005, entre Turim e Budapeste.
Em 2007 a companhia recebeu mais três aeronaves Boeing 767, usados para vôos na África, Oceano Indico e Caribe. Em Abril do mesmo ano, foi criada a sua subsidiária na Polônia; a Air Italy Poloska.
Em julho de 2011 a Air Italy se fundiu com a Meridiana Fly.
Em janeiro de 2013 a marca Air Italy deixou de existir.

Evolução da empresa:


Fundação:
2005
Encerrou Atividades:
2013
País:
Itália

Sede: Gallarate
Principal Aeroporto: Aeroporto Internacional Malpensa
Aeronaves já operadas: Boeing 737-300, Boeing 737-400, Boeing 737-500, Boeing 737-700, Boeing 737-800 Boeing 757-200, Boeing 767-200ER, Boeing 767-300ER
Destinos no Brasil:
Fortaleza, Maceió, Natal, Porto Seguro, Salvador
Destinos:
15

 

Atualizado em maio de 2014 

I

A Pitcairn Aviation foi criada em 1926, quando ganhou um contrato com o correio para transportar carga entre Nova York, Atlanta e Georgia com aeronaves monomotores. Em 1929 a empresa foi comprada e seu nome foi mudado para Eastern Air Transport, em 1930. Em 1934 a empresa foi novamente vendida, dessa vez para a General Motors, e mudou seu nome para Eastern Air Lines. Em 1938 a empresa foi novamente vendida, dessa vez para Rickenbacker.
Em 1950 a companhia começou a voar para o Canadá depois de comprar a companhia Colonial Airlines.
Em 1960 a Eastern recebeu o seu primeiro jato, um DC-8-20, e começou a criar vôos mais longos dentro dos EUA como Nova York - Miami.
Em abril de 1961 a companhia inaugurou o "Eastern Air Shuttle", uma espécie de ponte aérea entre Nova York, Washington e Boston. A Eastern inovou com a facilidade criada nesse serviço, onde não era necessária a reserva de assento e nem o check-in.
Em 1 de fevereiro de 1964 a Eastern foi a primeira companhia do mundo a operar o Boeing 727.
Na década de 70 a companhia ampliou suas malha internacional com vôos para diversos destinos no Caribe. A companhia também começou a receber os Tristar, Boeing 747 e A300, sendo que a Eastern foi uma das primeiras companhias americanas a operar aeronaves da Airbus. A Eastern se tornou a companhia aérea oficial da Walt Disney World, oferecendo vôos para Orlando mesmo antes do parque abrir, em 1971.
Na década de 80 a Eastern já era umas das maiores companhias aéreas do mundo e se tornou a lançadora do Boeing 757, em 1983. Porém a companhia também começou a ter constantes prejuízos.
A companhia chegou a voar para o Brasil em 1990, mas o vôo foi cancelado devido a crise financeira da companhia.
O último vôo da Eastern aconteceu dia 19 de janeiro de 1991.

Fundação: 1926
Encerrou atividades:
1991
País:
Estados Unidos

Sede: Nova York/Miami
Aeronaves já operadas: Airbus A300B4, Boeing 720, Boeing 727-100, Boeing 727-200, Boeing 747-100, Boeing 747-200, Boeing 757-200, Convair CV-340/440/640, Curtiss C-46, Douglas DC-2, Douglas DC-3, Douglas DC-4, Douglas DC-6, Douglas DC-7, Douglas DC-8-20, Douglas DC-8-50, Douglas DC-8-60, Douglas DC-9-10, Douglas DC-9-30, Douglas DC-9-50, Douglas DC-10-30, Lockheed L188 Electra II, Lockheed L049/749 Constellation, Lockheed L1049C/E/G/H Super Constellation, Lockheed L1011 Tristar, Martin 202/404.

 

Mapa de rotas (1972)

 

I

A BOA (Boliviana de Aviación) foi criada em 24 de outubro de 2007 pelo governo boliviano afim de substituir a LAB como companhia de bandeira. A companhia foi fundada prometendo popularizar o transporte aéreo na Bolívia. O primeiro voo ocorreu em março de 2009 entre La Paz, Cochabamba e Santa Cruz de La Sierra.
Em maio de 2010 a companhia iniciou o seu primeiro voo internacional, ligando Cochabamba e Buenos Aires. O segundo destino internacional foi São Paulo, em novembro do mesmo ano. A BOA passou a competir acirradamente com a Aerosur, porém como a BOA é apoiada pelo governo e quem acabou se dando mal foi a Aerosur, que suspendeu as operações em março de 2012.
Em 2013 a companhia iniciou voos para Madrid. Para isso a companhia adquiriu um Boeing 767, antes operado pela Tam, e alugou temporariamente um Airbus A330.
Em março de 2015 a BOA recebeu o seu primeiro Boeing 737-700, antes operado pela Yakutia Airlines.

Evolução da empresa:

Fundação: 2007
País:
Bolívia

Sede: Cochabamba
Principais Aeroportos: Aeroporto Internacional Jorge Wilsterman, Aeroporto Internacional Viru Viru, Aeroporto Internacional El Alto
Aeronaves já operadas: Boeing 727-200
Destinos no Brasil:
São Paulo
Destinos:
12

> Frota:

E
Aeronave: Ativos: Inativos: Idade Média: Encomendas: Passageiros:
Boeing 737-300 13   22 anos   136 ou 138
Boeing 737-500   1 25 anos   122
Boeing 737-700 4   15 anos   136
Boeing 737-800 2   15 anos   168
Boeing 767-200ER 3   21 anos   218 (20+198) ou 225 (10+215)
CRJ-200 2   15 anos   50
TOTAL: 24 1 20 anos 0 -

 

> Mapa de Rotas:

 

Atualizado em dezembro de 2016

 

I
Clique aqui para acessar a página da Ethiad Airways

 
 

I

A Ethiopian Airlines foi fundada em dezembro de 1945 com a ajuda da TWA. A companhia começou a operar em abril de 1946 com cinco C-47 para o Cairo, Djibouti e Aden.
Em 1950 vieram três Convair 340 e a malha foi expandida.
Em 1957 a companhia inaugurou o seu próprio centro de manutenção de aeronaves e o voo para Frankfurt. Em 1958 começou a receber os DC-6.
Em 1960 a Ethiopian se preparava para entrar na era a jato, mas o aeroporto não estava preparado para operar um jato. Sendo assim a companhia decidiu construir um novo aeroporto em Addis Ababa.
Em 1961 foi a primeira companhia a ligar o leste o oeste da África com um voo direto, na rota entre Addis Ababa e Monrovia.
Em 1962 chegaram os primeiros jatos, dois Boeing 720B. O primeiro voo com um jato aconteceu em 1963 para Nairobi.
Em 1979 chegaram os primeiros Boeing 727 e em 1984 o primeiro Boeing 767-200ER, que substituíram os Boeing 720. Os DC-3 foram substituídos por ATR-42 e DHCs.
Em 1998 a companhia começou a voar para os EUA, nas rotas para Washington e Nova York.
Em 2002 a empresa recebeu os primeiros Boeing 737-700 e Boeing 767-300ER.
Em 2005 foi a primeira companhia da África e encomendar e a primeira no continente (em 2012) a operar o Boeing 787.
Em 2008 a Ethiopian iniciou um acordo de code-share com a Lufthansa e em dezembro de 2011 entrou na Star Alliance.
Em 2009 a companhia encomendou aeronaves Boeing 777-200LR e Airbus A350-900.
Em 2011 recebeu o primeiro Boeing 777 e iniciou voos para China.
Em julho de 2013 a Ethiopian Airlines foi a primeira companhia do mundo a operar o Boeing 787-8 no Brasil, na rota Addis Abeba - Lomé - Rio de Janeiro - São Paulo - Lomé - Addis Abeba.

 

Evolução da empresa:

 

Fundação: 1945
País:
Etiópia

Sede: Addis Ababa
Principais Aeroportos: Aeroporto Internacional Bole
Aeronaves já operadas:
ATR-42-300, Boeing 707-320, Boeing 720, Boeing 737-200, Boeing 747-200, Boeing 747-300, Boeing 767-200ER, Convair 340, Douglas DC-3/C-47, Douglas DC-6, McDonnell Douglas MD-11, DHC-7, Fokker F-50, Lockheed L749A Constellation, L100-30
Destinos no Brasil: São Paulo (Rio de Janeiro - não opera mais)

Destinos:
80

> Frota:

E
Aeronave: Ativos: Inativos: Idade Média: Encomendas: Passageiros:
Airbus A350-900 2   0 ano 12 348 (30+318)
Boeing 737-700 8   11 anos   118 (16+102)
Boeing 737-800 16   4 anos   154 (18+138)
Boeing 737-8MAX       20  
Boeing 757-200 1   17 anos   170 (16+154) ou 171 (16+155) ou 175 (16+159)
Boeing 757-200F 2   26 anos   -
Boeing 767-300ER 6   14 anos   220 ou 225 ou 234 ou 235 ou 237 ou 245 (duas classes)
Boeing 777-200LR 6   5 anos   321 (34+287)
Boeing 777-200F 6   2 anos   -
Boeing 777-300ER 4   2 anos   399 (34+365)
Boeing 787-8 16   2 anos 3 270 (24+246)
Bombardier Dash 8-400 18   4 anos   78 ou 71 (7+64)
TOTAL: 86 0 5 anos 35 -

 

 

> Mapa de Rotas:

Nacional

Internacional

 

Atualizado em dezembro de 2016

I

A APSA (Líneas Aéreas Peruanas SA) foi criada em 1956 e operava com um DC-6 voos de Lima para a América do Sul, Central e Estados Unidos com destinos como: Los Angeles, Miami, México, Acapulco, San Salvador, Panamá, Caracas, Bogotá, Guayaquil, Santiago, Buenos Aires, Montevidéu, Assunção, Rio de Janeiro e São Paulo. Posteriormente o DC-6 foi substituído pelo Convair 990.
Em 1973 o governo do Peru resolveu criar uma companhia aérea nacional para substituir a APSA, nascia ai a AeroPeru. A AeroPeru se tornou a principal companhia aérea do Peru e além das rotas domésticas, voava para a América do Sul, México e EUA com aeronaves Fokker F-28, Boeing 727, Douglas DC-8 e Lockheed L1011 Tristar.
Nos anos 90 a companhia enfrentava uma crise financeira e uma parte da empresa foi vendida para AeroMexico, que introduziu novas aeronaves na frota da AeroPeru e lançou uma nova identidade visual. Porém em março de 1999 a companhia ficou sem dinheiro e cancelou todos os voos.

Evolução da empresa:

Fundação: 1973
Encerrou Operações:
1999
País:
Peru
Sede: Lima
Principal Aeroporto: Aeroporto Internacional Jorge Chavez
Aeronaves já operadas: Boeing 727-100,
Boeing 727-200, Boeing 737-200, Boeing 757-200, Boeing 767-200ER, Douglas DC-3, Douglas DC-8-40/50/60, Douglas DC-10-15/30, Lockheed L1011 Tristar, Fokker 27, Fokker 28
Destinos no Brasil:
Rio de Janeiro e São Paulo

> Mapa de Rotas:

1978

Atualizado em outubro de 2012

I

A MEA (Middle East Airlines) foi fundada em maio de 1945 com ajuda da BOAC. As operações começaram em janeiro de 1946 com três D.H. Dragon Rapide entre Beirut e Nicosia. Em 1949 a Pan Am comprou uma parte da empresa.
Em dezembro de 1960 chegaram os primeiros jatos D.H. Comet 4C e em agosto de 1961 a companhia se fundiu com a Air Liban.
Em 1963 a MEA comprou a Lebanese International Airways. Na década de 60 a frota da empresa foi modernizada com aeronaves Caravelle, Boeing 707, Boeing 720 e Vickers VC-10. Na década de 70 vieram os Boeing 747-200.
Nos anos 90 a companhia começou a adquirir aeronaves Airbus. Os primeiros foram os A310-300 (em 1993), seguidos pelos
A321 e A330. A MEA chegou a voar para o Brasil entre dezembro de 1995 e 1998 com voos entre Beirut e São Paulo, servida pelo A310 ou B747.
Em junho de 2012 a MEA entrou na SkyTeam.

Evolução da empresa:

Fundação: 1945
País:
Líbano

Sede: Beirut
Principal Aeroporto: Aeroporto Internacional de Beirut/Rafic Hariri
Aeronaves já operadas: Airbus A300B4, A310-200/300, Boeing 707-300, B720, 747-200, DC-3, DC-8-60, CV-990, Caravelle 3/6/10, V. Viscount 700/800, Comet 4, VC-10
Destinos:
31
Destinos no Brasil:
São Paulo (não opera mais)

> Frota:

E
Aeronave: Ativos: Inativos: Idade Média: Encomendas: Passageiros:
Airbus A320 13   5 anos   126 (24+102)
Airbus A320neo       1  
Airbus A321 2   13 anos   149 (31+118)
Airbus A321neo       9  
Airbus A330-200 5   6 anos   244 (44+200)
TOTAL: 20 0 6 anos 10 -

 

> Mapa de Rotas:

Atualizado em dezembro de 2016

I

A CCTA (Compagnie Cherifienne des Transports Aériens) foi fundada em 1953 em Casablanca, capital do país. Em 1957, após a independência do Marrocos, a companhia passou a se chamar RAM (Royal Air Maroc). A RAM entrou na era a jato em 1960 com os primeiros Caravelles. Depois a companhia também adquiriu aeronaves B727 e B707.
Em 1983 a RAM começou a voar para o Brasil na rota Casablanca - Rio de Janeiro - São Paulo com aeronaves Boeing 707 e depois Boeing 747-SP. Porém o voo foi cancelado em 1992.
Em dezembro de 2013 a companhia voltou a voar para o Brasil, na rota Casablanca - São Paulo com o Boeing 767-300. Em novembro de 2016 a rota passou a ser operada com o Boeing 787.

Evolução da empresa:

Fundação: 1953
País:
Marrocos

Sede: Casablanca
Principal Aeroporto: Aeroporto Internacional de Mohammed V
Aeronaves já operadas:
Airbus A321, ATR-42-300, Boeing 707-300, Boeing 727-200, Boeing 737-200/400/500, Boeing 747-200/SP, Boeing 757-200, Caravelle 3, DC-3, DC-4, Lockheed L749
Destinos:
67
Destinos no Brasil:
São Paulo e Rio de Janeiro (não opera mais)

> Frota:

E
Aeronave: Ativos: Inativos: Idade Média: Encomendas: Passageiros:
ATR-72-600 5   4 anos   70
Boeing 737-300F 1   28 anos   -
Boeing 737-700 6   15 anos   132 ou 138
Boeing 737-800 30   9 anos   171, 177 ou 183
Boeing 747-400 1   23 anos   498 (20+478)
Boeing 767-300ER 4   16 anos   235, 236 ou 237
Boeing 787-8 5   1 ano   274 (18+256)
Embraer E-190 4   2 anos   96
TOTAL: 56 0 10 anos 0 -

 

> Mapa de Rotas:

Atualizado em dezembro de 2016

II

Em janeiro de 1961 a AVENSA (Aerovias Venezolnas) e LAV (Linea Aeropostal Venezolana) se uniram para criar uma companhia para voos internacionais chamada VIASA (Venezolana Internacional de Aviación Sociedad Anónima). As operações começaram com aeronaves Lockheed Constallation e Douglas DC-6. Ainda em 1961 a VIASA recebeu os seus primeiros jatos DC-8 e Convair 880. Até a década de 70 a companhia adquiriu aeronaves DC-8-50s, DC-8-60s e DC-9-10.
Durante a década de 70 a empresa cresceu e recebeu aeronaves Boeing 747-200, DC-10-30 e Douglas DC-8-33. Mas a companhia foi seriamente afetada pelo Choque do Petróleo e a VIASA acabou sendo estatizada.
Em junho de 1975 a VIASA iniciou voos para o Rio de Janeiro. A companhia também passou a atende São Paulo em julho de 1989.
Nos anos 80 a companhia adquiriu aeronaves Airbus A300B4 e MD-82.
Na década de 90 a VIASA foi privatizada. Mas em janeiro de 1997 a Iberia se recusou a injetar mais capital na empresa e ela foi a falência.

Evolução da empresa:

Fundação: 1961
Encerrou Atividades:
1997
País:
Venezuela

Sede: Caracas
Principal Aeroporto: Aeroporto Internacional Simón Bolívar
Aeronaves já operadas: Airbus A300B4,
727-200, 747-200, Convair 880, Douglas DC-6, DC-8-30/50/60, DC-9-10/30, DC-10-30, MD-80, Lockheed L1049 Super G Constellation.
Destinos no Brasil:
Manaus, São Paulo e Rio de Janeiro (não opera mais)

 

> Mapa de Rotas:
1961

1970

1994

Atualizado em outubro de 2012

I

A Aerosur iniciou atividades em agosto de 1992 com uma frota de três aeronaves. Desde então, por mais de 60 anos, somente a LAB operava na Bolívia. Com passagens mais baratas, primeira classe e serviços inéditos no país, a empresa chegou a ter 60% do mercado nacional. Com isso a empresa resolveu se aventurar no mercado internacional.
Em janeiro de 1998 a AeroSur quebrou o monopólio da LAB nos voos internacionais, passando a voar para o Chile em code-share.
Em 1999 foi criada a AeroSur Express, uma subsidiária regional. Mas em 2000 passou por uma crise e chegou a operar somente com um Boeing 727.
Em julho de 2002 a empresa inaugurou o seu primeiro voo internacional "independente" para Buenos Aires. Em 2003 foi a vez de Lima. Em 2004 a empresa começou a operar no Brasil, de Santa Cruz de la Sierra para São Paulo. Com a falência da LAB, a AeroSur passou a ser a principal empresa do país.
Em agosto de 2006 a empresa recebeu um Boeing 757-200 e iniciou voos para Miami.
Em 2008 a empresa recebeu um Boeing 747-300 e iniciou voos para Europa.
Em 2009 o 747-300 foi substituído por um 747-400 e a companhia ampliou e modernizou a frota com Boeing 737-300 e Boeing 767-200ER. A companhia também tentou criar uma subsidiária no Paraguai, mas não deu certo.
Em 2010 iniciou voos para Washington.
Em abril de 2012 a AeroSur chegou a paralisar todas as operações devido a uma crise financeira. Porém a companhia voltou a voar e afirmou que continuaria operando mesmo com uma dívida de mais de 200 milhões de dólares. Em maio as operações foram paralisadas definitivamente.

Fundação: 1992
Encerrou Operações:
2012
País:
Bolívia
Principais Aeroportos: Aeroporto Internacional Viru Viru (Santa Cruz de la Sierra)

Sede: Santa Cruz de la Sierra
Aeronaves já operadas: Boeing 727-100, Boeing 727-200, Boeing 737-200, Boeing 737-300, Boeing 737-400, Boeing 747-300, Boeing 747-400, Boeing 757-200, Boeing 767-200, BAe 146, Yak-40, DC-3.
Destinos no Brasil:
São Paulo

> Frota: (antes da falência - 2012)

03xBoeing 727-200
04x
Boeing 737-200
03xBoeing 737-300
01xBoeing 737-400
01x
Boeing 747-400
01x
Boeing 767-200ER
TOTAL: 13

Idade Média: 22 anos

 

> Mapa de Rotas:

LEGENDA:

AMÉRICA DO SUL

AMÉRICA DO NORTE E CARIBE

EUROPA

 

Atualizado em agosto de 2012

I

Criada em dezembro de 1986, a Spanair iniciou operações em março de 1988 com voos charters na Europa e aeronaves MD-83.
Em 1991 foram lançados voos para os Estados Unidos, México e República Dominicana. Somente em fevereiro de 1994 foram lançados voos nacionais. Pouco tempo depois a Spanair já era a segunda maior companhia aérea da Espanha.
Em 1 de maio de 2003 a Spanair entrou na Star Alliance. A companhia chegou a ter code-share com a Varig, que fazia parte da mesma aliança.
Em 1997 a companhia recebeu os Boeing 767 e começou a fazer voos de longa distância de Madrid para Washington, Rio de Janeiro, São Paulo e Buenos Aires. Porém os 767 foram devolvidos em 2001 e a companhia passou a focar somente na Europa.
Em 2007 a SAS anunciou a venda de suas ações da companhia. Porém a venda não se concretizou, pois para a SAS o preço por ação estava abaixo do que a companhia realmente valia.
Em janeiro de 2009 a SAS vendeu parte das ações para um grupo de investidores e passou a ser um sócio minoritário.
Em maio de 2009 a companhia apresentou o seu novo logotipo, que foi escolhido pelo seu próprio publico com uma votação na internet.
Em 27 de janeiro de 2012 a companhia encerrou as atividades após sucessivos prejuízos. O governo de Barcelona não estava mais disposto a injetar dinheiro e a única saída da companhia era a venda para a Qatar Airways, que não aconteceu.

Evolução da empresa:

Logos Antigos:

Pinturas:


Fundação:
1986
Encerrou Atividades:
2012
País:
Espanha

Sede: L'Hospitalet de Llobregat
Principais Aeroportos: Aeroporto Internacional
El Prat
Aeronaves já operadas: Boeing 757-200, Boeing 767-300, Douglas DC-9-50, Douglas DC-9-80, Fokker F-100.
Destinos:
37
Destinos no Brasil: Rio de Janeiro (de 1997 a 2001) e São Paulo (de 1998 a 2000).

 

> Frota: (antes de encerrar operações)

19xAirbus A320
05xAirbus A321
02xBoeing 717-200
12xMcDonnell Douglas MD-82/MD-83/MD-87
TOTAL: 38

Idade Média da Frota:
12 anos


> Mapa de Rotas:

ESPANHA

EUROPA


 

Atualizado em abril de 2012

I

A BQB Lineas Aereas foi criada em 2010 e pretendia iniciar operações no aeroporto Colonia del Sacramento, mas o aeroporto não tinha infra-estrutura necessária e então a empresa escolheu o Aeroporto Internacional de Laguna del Sauce, em Punta Del Este. No dia 12 de fevereiro de 2010 chegou ao aeroporto a primeira aeronave, um ATR-72. No dia 14 de maio de 2010 a companhia operou o seu primeiro voo comercial, entre Montevidéu e Salto. Ainda em 2010 a BQB recebeu o seu segundo ATR-72 e expandiu suas operações para a Argentina.
Em 2013, após a falência da Pluna, a BQB passou a ser a principal companhia aérea do Uruguai e iniciou uma grande expansão. Com a aquisição de mais dois ATR-72 e um A320, a companhia ampliou os seus voos para o Brasil, Chile e Paraguai.
Em 2014 a companhia começou a enfrentar dificuldades financeiras e começou a cancelar voos. A BQB encerrou todas as atividades em abril de 2015. Em maio a empresa foi vendida para a companhia aérea boliviana Amaszonas.

Evolução da empresa:


Fundação:
2010
Encerrou Atividades:
2015
País:
Uruguai

Sede: Montevidéu
Principais Aeroportos:
Aeropuerto Internacional de Laguna del Sauce
Aeronaves operadas: Airbus A319 (1), Airbus A320 (1), ATR-72-500 (4)
Destinos:
13
Destinos já operados no Brasil: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba

> Mapa de Rotas:

 

Atualizado em agosto de 2015

Aviação Comercial