Se procura Avianca "Brasil" clique aqui

Texto: 

A Avianca é uma das companhias aéreas mais antigas do mundo e a mais antiga da América Latina. A história da empresa começou em 5 de dezembro de 1919 quando a SCADTA (Sociedad Colombo-Alemana de Transportes Aereos) iniciou seus voos utilizando dois Junkers F-13. A empresa havia sido fundada por empresários alemães, por isso o nome "Alemanha". No ano seguinte a empresa já havia iniciado voos internacionais para a Venezuela, Panamá, Equador e Estados Unidos.
Em 15 de fevereiro de 1930 a Pan American Airways adquiriu 84,4% da empresa e com isso a companhia conseguiu modernizar a frota.
Em 27 de outubro de 1939 a SCADTA e a SACO (Serviços Aereos Colombianos) se fundiram e em 14 de junho de 1940 a nova empresa passou a se chamar Avianca (Aerovias Nacionales de Colombia). Com a Segunda Guerra Mundial, a empresa enfrentou dificuldades para voar para os EUA por causa de sua origem alemã. Porém com o controle da Pan Am, ela conseguiu voar para os Estados Unidos durante a guerra. Em 22 de janeiro de 1947 iniciou voos para Miami com um Douglas DC-4 e em 20 de abril de 1949 estendeu o voo para Nova York. Depois da Guerra, a companhia estendeu sua malha para Europa. Em 6 de março de 1950 inaugurou voos para Lisboa, Roma e Paris com os Douglas DC-4. Em 3 de julho de 1951, foi a vez de Madrid com os Lockheed Constellations. Com os Constellations a Avianca também chegou em Hamburgo e Frankfurt, em 1951 e 1953.
Em 1951 a empresa comprou a LANSA e em 1952 a SAETA e voltou a ser controlada pelos colombianos.
Em 16 de outubro de 1960 a Avianca entrou na era do jato, alugando um Boeing 707 da
Pan Am. O aeronave operou na rota Bogotá - Nova York. No ano seguinte o 707 foi substituído pelo Boeing 720B, que voava para Miami com escala em Kingston. A empresa foi uma das lançadoras do Boeing 737-100, porém a aeronave não obteve uma performance boa nas altas altitudes de Bogotá e foram devolvidas em pouco tempo.
Em 1966 a empresa recebeu o seu primeiro Boeing 727-100 e voou para o Brasil pela primeira vez, aterrissando no aeroporto de Manaus.
Em 28 de abril de 1971 a companhia passou a voar para Zurich e em 17 de janeiro de 1972 para Rio de Janeiro e São Paulo.
Em 6 de dezembro de 1972 a Avianca se tornou a primeira companhia aérea da América Latina a operar um Boeing 747. O Boeing 747-100 operava na rota Bogotá - San Juan - Frankfurt, Madrid e Paris.
Em 1990 a Avianca operava no Brasil somente para o Rio de Janeiro: dois voos semanais com o Boeing 707. No ano seguinte o 707 foi substituído pelo Boeing 727-200. Em 1994 voltou a voar para São Paulo com o Boeing 767-200ER.
Em 2001 a empresa se fundiu com a SAM e a ACES, nascendo assim a "Alianza Summa". Porém as empresas estavam em sérias dificuldades financeiras. A "Alianza Summa" acabou com a falência da ACES e a absorção total da SAM pela Avianca. A companhia aérea chegou a entrar em concordata em 2003.
Em 18 de março de 2004 o Grupo Sinergy (dono da OceanAir) comprou 75% da empresa e salvou a Avianca da falência.
Em 28 de maço de 2007 a Avianca anunciou a encomenda de novos Boeing 787 e em maio novos Airbus A319, A320 e A330-200, um investimento de US$ 3 bilhões.
Em janeiro de 2009 a rota Bogotá - São Paulo passou a ser feita com o Airbus A330-200.
Em outubro de 2009 o grupo Synergy comprou a Taca, criando o grupo Avianca-Taca: um dos maiores grupos aéreos da América Latina.
Em 23 de abril de 2010 a OceanAir passou a se chamar Avianca Brasil, apesar de não fazer parte oficialmente do grupo Avianca-Taca.
Em 2011 a Avianca começou a receber aeronaves A318 para substituir os Fokker F-100 e ampliar a frota. No final do ano a companhia aposentou os últimos B767 e MD-83.
Em novembro de 2011 a Avianca voltou a ter um voo sem escalas entre Bogotá e o Rio de Janeiro, operado com o A319 configurado com duas classes.
Em junho de 2012 a Avianca e a
Taca entraram na Star Alliance.
Em fevereiro de 2013 a Avianca foi a primeira companhia da América Latina a receber o Airbus
A320 com Sharklets, que reduzem o consumo de combustível. Em maio o grupo anunciou que todas as companhias iriam passar a operar sob a marca Avianca, com isso foi lançada uma nova identidade visual.
Em julho de 2014 a companhia iniciou voos para Londres. Em dezembro a Avianca recebeu o seu primeiro
Boeing 787-8. O 787 substituiu o A330 na rota para São Paulo em fevereiro de 2015.

 

Aerogal Aerolinea Galapagos
A VIP (Vuelos Internos Privados) foi criada em 1997 com o nome Ecuatorian VIP S.A.. Em 2003 foi comprada pelo Grupo Sinergy e passou a ser uma subsidiária da Avianca no Equador.
A Aerogal foi criada em 1986 também no Equador. Em 2009 foi anunciado a integração da companhia com o grupo AviancaTaca. A partir daí a VIP e a AeroGal fundiram as operações.
Em junho de 2014 a AeroGal passou a se chamar Avianca.


A Tampa Cargo foi fundada em março de 1973. Em 2008 foi comprada pela Avianca e tornou sua subsidiária. A partir de maio de 2013 todas as companhias cargo do grupo passaram a operar sob o nome Avianca Cargo.

 


AviancaTaca é a empresa resultante da fusão entre a Avianca e a Taca. Com mais de 60 destinos e 100 aeronaves, o grupo é um dos maiores da América Latina. Em 2013 a empresa passou a se chamar Avianca Holdings e todas as companhias do grupo passaram a operar sob a marca Avianca.

 

Evolução da empresa:

Logos Antigos:

Pinturas:

 

Fundação: 1919
País:
Colômbia
Principais Aeroportos: Aeroporto Internacional El Dourado (Bogotá),
Aeroporto Internacional de El Salvador, Aeroporto Internacional Jorge Chávez
Sede: Bogotá
Códigos: AVA / AV
Destinos: 121

Destinos no Brasil:
São Paulo, Rio de Janeiro

 

> Frota Atual:

E
Aeronave: Ativos: Inativos: Idade Média: Encomendas: Passageiros:

AVIANCA

Airbus A318 10   12 anos   100 (12+88)
Airbus A319 21   7 anos   120 (12+108)
Airbus A320 62   6 anos   150 (12+138)
Airbus A321 11   3 anos 1 194 (12+182)
Airbus A320neo       100  
Airbus A330-200 9   5 anos   252 (30+222)
Airbus A330-200F 5   3 anos   -
Airbus A350-900       10  
ATR-42-300 2       44 ou 50
ATR-72-600 15   3 anos   70
Boeing 787-8 11   1 ano 4 250 (28+222)
Embraer E-190 12   6 anos   96 (8+88)
TOTAL: 158 0 5 anos 115 -
  Avianca (Brasil)
TOTAL:
43

TOTAL DO GRUPO + Avianca Brasil: 201

ATR-72-600

Assentos:
70
Velocidade de Cruzeiro: 556 km/h
Altitude de Cruzeiro: 7600 m
Capacidade de Carga: 5400 kg
Embraer E-190

Assentos:
96 (8+88)
Velocidade de Cruzeiro: 846 km/h
Altitude de Cruzeiro: 12400 m
Capacidade de Carga: 4440 kg
Airbus A318

Assentos:
100 (12+88)
Velocidade de Cruzeiro: 846 km/h
Altitude de Cruzeiro: 11900 m
Alcance: 4100 km
Capacidade de Carga: 17000 kg
Airbus A319

Assentos:
120 (12+108)
Velocidade de Cruzeiro: 846 km/h
Altitude de Cruzeiro: 11900 m
Alcance: 4900 km
Capacidade de Carga: 16200 kg
Airbus A320

Assentos:
150 (12+138)
Velocidade de Cruzeiro: 846 km/h
Altitude de Cruzeiro: 11900 m
Alcance: 4600 km
Capacidade de Carga: 18100 kg
Airbus A321

Assentos:
194 (12+182)
Velocidade de Cruzeiro: 846 km/h
Altitude de Cruzeiro: 11900 m
Alcance: 4600 km
Capacidade de Carga: 18100 kg

Airbus A330-200

Assentos:
252 (30+222)
Velocidade de Cruzeiro: 880 km/h
Altitude de Cruzeiro: 12500 m
Alcance: 12500 km
Capacidade de Carga: 47000 kg

Boeing 787-8

Assentos:
250 (28+222)
Velocidade de Cruzeiro: 900 km/h
Altitude de Cruzeiro: 13000 m
Alcance: 14500 km

Avianca Cargo
A330-200F
Capacidade de Carga:
68 toneladas

 

> Histórico de Frota:

E
Aeronave 1955 1965 1975 1985 1995 2004 2010 2015
Família Airbus A320             19 111
Airbus A330-200             5 16
ATR-42/72               19
Boeing 707/720   2 9 8        
Boeing 727-100/200   7 17 12      
Boeing 747-100/200       3 1      
Boeing 757-200         4 6 4  
Boeing 767-200/300         3 5 4 1
Boeing 787-8               5
Cessna 208         10
Curtiss C-46 5        
Douglas DC-3 36 20 6        
Douglas DC-4 13 16 12      
Embraer E-190               12
HS-748     2      
Fokker F-50       4 6 10  
Fokker F-100         15  
Lockheed L749A 1 4          
L1049E/G Super Constellation 4 3            
MD-83         11 12 6  
TOTAL: 59 45 36 28 35 29 63 174

> Aeronaves Utilizadas:

Aeronave: Período: Total de unidades: Passageiros:
Boeing 707-300B/C 1969-1993  09  
Boeing 720-020B 1961-1984  08  
Boeing 727-100/C/F 1966-1992  27  
Boeing 727-200/F 1978-1998  18  
Boeing 737-100 1968-1971  02  
Boeing 747-100 1976-1995  04  
Boeing 747-200  04  
Boeing 757-200 1992-2010  23 168 a 176 ou 174 (12+162)
Boeing 767-200ER 1989-2011  06 175 a 182 ou 186/185 (24+162/161)
Boeing 767-300ER 1994-2010  06 210 a 248 ou 213 (25+188)
Cessna 208B -2017 11 12
HS 748-200 1968-1978  03  
Fokker F-50 1993-2014 11 52
Fokker F-100 2005-2011 15 97 (8+89)
Lockheed 1049G Super Constellation 1958-1968  04  
Lockheed 749A Constellation 1956-1968  06  
McDonnell Douglas MD-83 1992-2011 28 130 a 152 (12+140) ou 147 (12+135)

Outras Aeronaves: Lockheed L18 Lodestar, De Havilland Tiger, De Havilland Giant, Dornier Do J, Dornier Komet, Dornier Merkur, Sikorsky S38, Consolidated Catalina, Junkers F13 (1920-1939),  Junkers W33 (1928-1932),  Junkers W34 (1929-1947), Ford Trimotor 5AT (1932-1946), Boeing 247 (1937-1947), DC-2 (C-39) (1944-), DC-3 (C-47/C-53) (1939-197), DC-4 (C-54) (1945-1975), Curtisss C-46 (1950-).

 

 

> Mapa de Rotas:


Rotas nacionais


Rotas - América do Sul


Rotas - América Central


Rotas - EUA e Europa

 

> Histórico de Mapa de Rotas:

Mais mapas de rotas? Clique Aqui!


2012

AeroGal/VIP

Rotas nacionais - 2009

 

Rotas internacionais - 2009

 

Anos 60

Anos 50

Anos 30

 

Atualizado em maio de 2017

Aviação Comercial