English

Se procura a Avianca (Colômbia) clique aqui

A OceanAir foi fundada em 1998 como empresa de táxi aéreo no Rio de Janeiro e aproveitou o crescimento da região de Campos com o petróleo.
Em 2001 a companhia iniciou o processo para se tornar uma empresa regional regular e negociou aeronaves com a Rio Sul. Em março de 2002 a OceanAir fez o primeiro voo regular entre o Rio de Janeiro, Campos e Macaé. As primeiras aeronaves foram três EMB-120 que eram da Rio Sul. Com a crise enfrentada pela Varig, a Rio Sul (que era sua subsidiária) começou a reduzir as rotas e o número de cidades atendidas. Aproveitando isso, a OceanAir começou a voar para as cidades que a Rio Sul deixou de servir.
Em 2003 a companhia recebeu mais EMB-120 (ex-Rio Sul) e dois Fokker 50 e inaugurou várias novas rotas, justamente as rotas abandonadas pela Rio Sul.
Em 2004 a companhia já atendia mais de trinta cidades e contava com seis EMB-120 e três Fokker 50. A companhia se destacava pela pintura chamativa de seus aviões, cada um de uma cor diferente. Em março do mesmo ano o Grupo Synergy (dono da OceanAir) anunciou a compra da Avianca.
O ano de 2006 foi um ano de grande expansão para a OceanAir. No dia 9 de janeiro a companhia recebeu o seu primeiro jato, um Fokker 100 (ex-American Airlines), porém a companhia o rebatizou de MK-28 devido a má fama da aeronave no Brasil, depois de vários acidentes e incidentes com a Tam. O nome MK-28 vem da nomeação americana do Fokker 100 (F28-0100). Com o Fokker 100 a companhia inaugurou a sua nova pintura, a mesma da Avianca. A companhia também mudou de planos: abandonou as rotas regionais e focou nas rotas para o público executivo. Com isso foi anunciado a aposentadoria dos EMB-120. Além disso a OceanAir investiu na qualidade do serviço de bordo com aeromoças falando em francês e refeições quentes. Em junho a companhia assinou um acordo de Code-Share com a BRA que deveria durar um ano. No segundo semestre, recebeu um Boeing 757-200 e um Boeing 767-300.
Em 2007 a companhia iniciou voos internacionais para o México com o Boeing 767. A companhia ainda tinha planos para voar para Lagos e Luanda. Em novembro a BRA paralisou as operações e a Oceanair acabou assumindo os voos e incorporou três Boeing 737-300 e dois Boeing 767-300 que eram da BRA. Nesse momento a OceanAir estava com a maior frota e atendendo o maior número de destinos até então. A companhia era a terceira maior no mercado nacional. Em novembro o grupo (que inclui a Avianca) anunciou a encomenda de novas aeronaves Airbus A319, A320 e A330-200.
Em 2008 a companhia recuou. Com péssimas ocupações nos voos para o México, a companhia desistiu dos voos internacionais. A companhia também estava operando no vermelho e decidiu reformular as rotas e a frota. O número de voos e cidades atendidas no Brasil foi reduzido e OceanAir passou a operar somente com quatorze Fokker 100 (antes eram dezesseis), devolvendo todas as outras aeronaves. Também em 2008 a companhia iniciou voos na ponte aérea Rio de Janeiro - São Paulo.
Em 23 de abril de 2010 a OceanAir passou a se chamar Avianca (Brasil). Como as companhias pertencem ao mesmo grupo, o mesmo nome gera uma companhia aérea mais forte e o nome Avianca já é conhecido em todo o continente. A mudança de nome aconteceu com a chegada do primeiro Airbus A319. O A319 já veio para o Brasil com as cores da Avianca e conta com com o maior espaço entre as poltronas no mercado brasileiro e sistema de entretenimento individual.
Em 26 de novembro de 2010 a companhia voltou a realizar voos internacionais, dessa vez ligando São Paulo à Bogotá com o A319. A partir de Bogotá o passageiro podia fazer conexão para a América Latina, América do Norte ou Europa pelos voos da Avianca (Colômbia). Porém o voo foi cancelado em fevereiro de 2012.
Em abril de 2011 a companhia recebeu o seu primeiro A318. O modelo foi escolhido para substituir os F-100 e ampliar a frota. A companhia também começou a ampliar a malha doméstica com voos para Ilhéus, Juazeiro do Note, João Pessoa e Aracajú. No final de 2011 a Avianca recebeu o primeiro A320 para aumentar a oferta de assentos nas rotas de maior demanda.
Em 2012 a Avianca continuou com um forte expansão, sendo a companhia que mais cresceu no mercado nacional, consolidando-se como quarta maior companhia no Brasil. Em outubro de 2013 a companhia recebeu o seu primeiro Airbus A320 equipado com Sharklet, que reduz o consumo de combustível.
Em abril de 2014 a Avianca Brasil adotou a nova identidade visual da Avianca. Logo depois a companhia também recebeu a sua primeira aeronave cargueira, um Airbus A330-200F. Em agosto, iniciou voos para Goiânia.
Em junho de 2015 a companhia anunciou a encomenda de 62 aeronaves da Família A320neo para renovar a frota e em julho entrou na Star Alliance. Durante o ano de 2015 a Avianca recebeu oito novos A320, que substituíram os F-100 remanescentes na frota.
Em setembro de 2016 a Avianca se tornou a primeira companhia aérea no Brasil a oferecer internet à bordo. E no dia 13 de outubro se tornou a segunda no país a operar o A320neo.

 

Evolução da empresa:

Logos antigos:
        

Pinturas:

 

Fundação: 1998
Principais Aeroportos: Aeroporto de Congonhas, Aeroporto Santos Dumont, Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek

Sede: São Paulo
Códigos: ONE / O6
Aeronaves atuais da frota: Airbus A318, Airbus A319, Airbus A320/neo, Airbus A330-200F
Aeronaves já operadas: Boeing 737-300, Boeing 757-200, Boeing 767-300, Embraer EMB-120, Fokker F-50, Fokker 100
Code-share: Bra (encerrado em 2007), Avianca/Taca, Star Alliance

Destinos nacionais: Porto Alegre, Passou Fundo, Chapecó, Florianópolis, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Brasília, Salvador, Ilhéus, Petrolina, Aracaju, Maceió, Juazeiro do Norte, Recife, Natal, Fortaleza, Porto Velho, João Pessoa, Goiânia. (23 cidades)

Destinos nacionais já servidos: Campos, Macaé, Lages, Videira, Cascavel, Chapecó, Governador Valadares, Ipatinga, Ponta Grossa, Vitória,  Barreiras, Campina Grande, Campinas, João Pessoa, Ribeirão Preto, Sorocaba, Lençóis, Paulo Afonso, Rio Grande, Santo Ângelo, São José dos Campos, Manaus, São Carlos, Porto Seguro, Barreiras, Teresina, Parnaíba, Foz do Iguaçu, Ji-Paraná, Ipatinga, Montes Claros, Uberaba, Alta Floresta, Palmas, Maceió, Natal, São Luis.

Destinos internacionais já servidos: Bogotá e México

 

> Veja a frota da Avianca Brasil/OceanAir

> Veja os Mapas de Rotas da Avianca/OceanAir

 

 

Atualizado em dezembro de 2016

Aviação Comercial