Boeing 737


Boeing 737-200 / Boeing 737 Classic / Boeing 737NG / Boeing 737MAX

O Boeing 737 é uma aeronave para rotas curtas e médias, produzida pela Boeing. A primeira versão, Boeing 737-100, voou pela primeira vez em 1967. A segunda versão, Boeing 737-200, voou logo depois e se tornou a aeronave mais vendida de todos os tempos.
Na década de 80 a Boeing lançou a nova geração, que ficou conhecida como Boeing 737 Classic. A família é composta pelo Boeing 737-300 (lançado em 1981), Boeing 737-400 (1985) e Boeing 737-500 (1987). Essa geração ganhou melhorias aerodinâmicas e novos motores, tornando-os mais eficientes e econômicos.
Em 1987 voava o A320, o primeiro membro da Família A320, que competia diretamente com os Boeing 737. A Família A320 começou a tirar as vendas do modelo mais vendido de todos os tempos, pois o Airbus incorporava tecnologias mais modernas. A Boeing então respondeu lançando uma nova geração da Família 737. Nascia ai os Boeing 737NG (Next Generation), composto pelas versões Boeing 737-600 (lançado em 1995), Boeing 737-700 (1993), Boeing 737-800 (1994) e Boeing 737-900 (1997). Os 737NG receberam novos motores, mais econômicos e potentes, o que resultou numa velocidade e um alcance maiores. Além disso as asas, fuselagem, cauda, controles e sistemas foram melhorados. A partir daí os 737NG e a Família A320 travaram uma disputa acirrada pelo posto de aeronave comercial mais vendida do mundo. Nos anos 2000 os Boeing 737NG também passaram a utilizar Winglets.
Com uma concorrência cada vez maior, a Boeing e a Airbus começaram a estudar se era melhor lançar uma versão remotorizada dos seus Boeing 737 e Família A320 ou lançar uma aeronave totalmente nova. A Boeing estava mais inclinada a criar uma aeronave totalmente nova depois de 2020, mas a Airbus acabou lançando a Família A320neo, em 2010. A Boeing então lançou os Boeing 737MAX em 2011. A família é composta das versões Boeing 737-7 MAX, Boeing 737-8 MAX, Boeing 737 MAX 200 e Boeing 737-9 MAX. Os novos motores CFM Leap-1B e as mudanças estruturais baseadas no Boeing 787 irão produzir uma redução de até 12% no consumo de combustível em relação aos Boeing 737NG.

 

Boeing 737-100

Como resposta ao Douglas DC-9, a Boeing começou um projeto de uma aeronave para complementar o Boeing 727 em rotas médias e curtas. Nascia o Boeing 737-100, derivado do Boeing 707 e Boeing 727 e com  capacidade de 60 a 85 lugares. O primeiro comprador foi a Lufthansa que encomendou 21 unidades em fevereiro de 1965, mas pediu para que a capacidade fosse aumentada para um valor próximo a 100 assentos. A produção do 737 foi acentuada após a United Airlines encomendar alguns deste modelo para complementar a sua frota que já era composta pelo Boeing 727. Em abril de 1965 a United a solicitou uma versão maior do 737, que se tornaria a versão 200. O primeiro 737-100 foi entregue à Lufthansa em 28 de dezembro de 1967 e começou a voar nas rotas comerciais da empresa em 10 de fevereiro de 1968. Com o estrondoso sucesso do Boeing 737-200, a produção do 737-100 foi encerrada e o último modelo foi produzido em 1969 e entregue em novembro do mesmo ano.

 

S. M. Reeves

Fabricados: 30
Acidentes:
1

 

Origem: Estados Unidos
Produzido: 1968 - 1969
Comprimento:
28,65 m
Envergadura: 28,35 m
Altura: 11,28 m
Motores:
2x PW JT8D-7
Velocidade de cruzeiro: Mach 0.74 / 780 km/h
Velocidade máxima: mach 0.82 / 876 km/h
Passageiros: 85 (duas classes) / 96 a 124 (uma classe)
Primeiro voo: 9 de abril de 1967
Concorrentes: DC-9, BAC 1-11
, Caravelle
Alcance: 2850
 km
Companhia Lançadora: Lufthansa
Comparar com outras aeronaves

 

 

 

Boeing 737-200

O Boeing 737-200 foi criado por uma solicitação da United Airlines, que desejava uma versão mais longa do 737 para substituir os 727 que possuía. Então a Boeing aumentou a fuselagem do Boeing 737-100 em 1,83 metros. A versão 737-200 acabou se tornando um sucesso estrondoso e virou o modelo preferido pela companhias aéreas.
Em 1969 a Vasp era a maior operadora do 737 na América Latina, com vinte e três unidades do tipo. A companhia foi também a primeira do Brasil a receber o 737.
Em maio de 1971 foi introduzido o modelo 737-200 Advanced, onde foram incorporadas novas aerodinâmicas, turbinas mais potentes e econômicas e maior capacidade de combustível. As melhoras nas turbinas do 737-200Adv. representaram uma redução de 5% no consumo de combustível. O 737-200 também ganhou uma versão cargueira, o 737-200C, e uma versão de conversão rápida, o 737-200QC.
Apesar da acirrada concorrência com o DC-9, o 737 tornou-se o maior sucesso comercial da Boeing e sua família tornou-se recordista absoluta em vendas dentre todas as aeronaves a jato comerciais.

Operadoras no Brasil: ATA Brasil, Cruzeiro, Nacional, Taf, Rico, Varig, Vasp, Vaspex

 
Vito Cedrini

Origem: Estados Unidos
Produzido: 1968 - 1988
Comprimento: 30,53 m
Envergadura: 28,30 m
Altura: 11,28 m

Peso da aeronave: 27 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 46/44 toneladas / 52/46 toneladas (Advanced)
Motores:
2x PW JT8D-15A
Capacidade de combustível: 18 mil litros / 19 (Advanced)
Velocidade de cruzeiro:
780 km/h (mach 0.74)
Velocidade máxima: 876 km/h (mach 0.82)
Altitude de Cruzeiro: 10,7 km (35 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 2,0 km
Alcance: 2960 a 3700 km
Passageiros: 97 a 109 (duas classes) / 98 a 136 (uma classe)
Tripulação: 6
Primeiro voo: 8 de agosto de 1967

Concorrentes:
DC-9, BAC 1-11, Caravelle, Fokker 28
Companhia Lançadora: United Airlines
Comparar com outras aeronaves

Fabricados: 1115
Em Operação: 115
Acidentes: 126

 

 

 

Boeing 737-300

O 737-300 foi lançado em março de 1981 devido às necessidades de uma aeronave maior mais potente. O 737-300 é o primeiro modelo da geração chamada "Boeing 737 Classic", composta pelas versões 300, 400 e 500. A fuselagem foi ampliada em 2,64 metros permitindo acomodar 20 passageiros a mais que seu antecessor, o 737-200. Além do tamanho, o 737-300 possuía novos motores CFM mais modernos e eficientes, gerando uma significativa economia de combustível e menos barulho. O interior do 737-300 foi ampliado para a utilização de tecnologia digital, a mesma dos 757 e 767. As configurações internas são as mesmas do 757, que inclui compartimentos de bagagem mais amplos, galleys e lavatórios dispostos a frente e atrás da aeronave. As asas também receberam melhorias aerodinâmicas.
A primeira aeronave foi entregue em 28 de novembro de 1984 para USAir e em 30 novembro do mesmo ano para a Southwest Airlines. O modelo deixou de ser fabricado em 1999, quando foi lançado o seu sucessor, o Boeing 737-700.
No Brasil a Vasp foi a primeira companhia a receber e operar o modelo. No país, o Boeing 737-300 se tornou a principal aeronave para voos nacionais na década de 90, sendo operado pelas principais companhias Varig, Vasp e TransBrasil.

Operadoras no Brasil: Bra, Gol, Flex, Nordeste, Puma Air, Rico, Rio Sul, TransBrasil, Varig, Vasp, WebJet

 

AirNikon Collection-Pima Air and Space Museum

Origem: Estados Unidos
Produzido: 1984 - 1999
Comprimento:
33,40 m
Envergadura: 28,90 m
Altura: 11,10 m
Peso da aeronave: 32 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 62/51 toneladas
Motores:
2x CFMI CFM56-3B1
Capacidade de combustível: 20,1 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 780 km/h (mach 0.74)
Velocidade máxima: 876 km/h (mach 0.82)
Altitude de Cruzeiro: 11,3 km (37 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 1,9 km
Alcance: 2990-4790 km
Passageiros: 120 a 140
2 Classes: 120 a 128
1 Classe: 132 a 148
Tripulação: 6
Primeiro voo: 24 de fevereiro de 1984
Concorrentes:
DC-9, A319, MD-80
Companhia Lançadora: US Air e SouthWest
Comparar com outras aeronaves

Fabricados: 1116
Ativos:
416
Acidentes:
31

 

 

 

Boeing 737-400

Em dezembro de 1985 a Boeing lançou uma versão do 737 ainda maior. O Boeing 737-400 permitia acrescentar três fileiras de assentos na classe econômica e duas na primeira classe ou 21 assentos em classe única em relação ao Boeing 737-300. Os engenheiros da Boeing anunciaram uma economia de combustível que deixou as companhias animadas com 737-400. Além disso, por ser derivado do 737-300, os pilotos poderiam voar em ambos modelos. A primeira entrega aconteceu no dia 15 de setembro de 1988 para a Piedmont Airlines. As turbinas do 737-400 possuem 22000 libras de empuxo e oferecem 19% de economia de combustível em relação aos demais 737 e ao 727, além de menor ruído. O Boeing 737-400 foi substituído pelo Boeing 737-800.
No Brasil a primeira a operar o Boeing 737-400 foi a TransBrasil, porém poucas unidades foram operadas por companhias brasileiras se comparado ao Boeing 737-300 e Boeing 737-500.

Operadoras no Brasil: Bra, Nacional, TransBrasil, Varig, Vasp

 

 
 

Origem: Estados Unidos
Produzido: 1988 - 2000
Comprimento:
36,40 m
Envergadura: 28,90 m
Altura: 11,10 m
Peso da aeronave: 34 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 68/56 toneladas
Motores:
2x CFM56-3B2
Capacidade de combustível: 23,8 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 780 km/h (mach 0.74)
Velocidade máxima: 876 km/h (mach 0.82)
Altitude de Cruzeiro: 11,3 km (37 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 2,5 km
Alcance: 3600-4625 mil km
Passageiros: 130 a 150
2 Classes: 142 a 148
1 Classe: 146 a 180
Tripulação: 7

Primeiro voo: 19 de fevereiro de 1988
Concorrentes:
DC-9, A320, MD-80
Companhia Lançadora: Piedmont Airlines
Comparar com outras aeronaves

Fabricados: 488
Ativos:
284
Acidentes:
22

 

 

 

Boeing 737-500

O Boeing 737-500 foi um pedido da Southwest Airlines e foi lançado em 20 de maio de 1987 com uma encomenda inicial de 38 aviões feita pela mesma. O 737-500 tem um tamanho similar ao 737-200 e incorpora as tecnologias avançadas usadas nas versões 300 e 400. O consumo de combustível do 737-500 é 20% menor se comparado com a versão 200. As turbinas são as mesmas utilizadas nos 737-300 e 400 (CFM56), que oferecem uma grande economia de combustível e baixa quantidade de ruídos. Por não fazerem muito barulho, o 737 é ideal para operar em aeroportos perto de cidades. O ruído nas aproximações e pousos são menores, não sendo necessário ingressar no Estágio 3, que é um dos limites exigidos pelo Governo dos Estados Unidos. Outra inovação é a galley transversal que aumenta o espaço disponível para o embarque e desembarque de passageiros na seção transversal. Esta inovação facilita o serviço da tripulação, tornando rápida a organização do serviço de bordo. Muitas destes desenvolvimentos foram incorporados dos 757 e 767. O modelo deixou de ser fabricado para dar lugar ao seu sucessor, o Boeing 737-600.
No Brasil o Boeing 737-500 se tornou o principal jato das subsidiárias regionais da Varig: Rio Sul e Nordeste, na década de 90. O modelo foi escolhido especialmente para concorrer com o Fokker 100 da Tam.
 
Operadoras no Brasil: Nordeste, Rio Sul, Varig

 
 
 

Origem: Estados Unidos
Produzido: 1990 - 1999
Comprimento:
31,00 m
Envergadura: 28,90 m
Altura: 11,10 m
Peso da aeronave: 31 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 60/50 toneladas
Motores:
2x CFMI CFM56-3B1
Capacidade de combustível: 23,8 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 780 km/h (mach 0.74)
Velocidade máxima: 876 km/h (mach 0.82)
Altitude de Cruzeiro: 11,3 km (37 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 2,4 km
Alcance: 3330-5550 km
Passageiros: 100 a 120
2 Classes: 108 a 120
1 Classe: 122 a 132
Tripulação: 5

Primeiro voo: 30 de junho de 1989
Concorrentes: Avro RJs, MD-83/7,
Fokker 100
Companhia Lançadora: Southwest Airlines
Comparar com outras aeronaves

Fabricados: 390
Ativos:
174
Acidentes:
8

 

 

 

Boeing 737-600

O B737-600 foi lançado em março de 1995 com uma encomenda de 35 unidades feita pela empresa escandinava SAS.  Ele possui dimensões semelhantes ao B737-500 e utiliza as mesmas estruturas básicas dos outros membros da Next Generation. Porém o 737-600 não encontrou muitos compradores e sofreu forte concorrência das aeronaves regionais produzidas pela Bombardier e Embraer. As companhias aéreas acabaram optando pelos modelos regionais, mais modernos e mais leves, ou pelo Boeing 737-700, com maior capacidade de passageiros.
 
 Axel J.
 
 

Origem: Estados Unidos
Produzido: 1998 - hoje
Comprimento:
31,20 m
Envergadura: 34,30 m
Altura: 12,60 m
Peso da aeronave: 36,3 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 66/55 toneladas
Motores:
2x CFMI CFM56-7B
Capacidade de combustível: 26 mil litros
Velocidade de cruzeiro:
828 km/h (mach 0.785)
Velocidade máxima: 876 km/h (mach 0.82)
Altitude de Cruzeiro: 12,5 km (41 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 1,7 km
Alcance: 5648 km / 5970 km (com winglets)
Passageiros: 100 a 120
2 Classes: 108 a 118
1 Classe: 120 a 132
Tripulação: 5
Primeiro voo: 22 de janeiro de 1998

Concorrentes:
A318, E-190/195, CRJ-900/CRJ-1000, Fokker 100
Companhia Lançadora: SAS
Comparar com outras aeronaves

Fabricados: 69
Ativos:
53
Acidentes:
0

 

 

 

Boeing 737-700

Para enfrentar a concorrência da Família A320, a Boeing lançou os 737NG (Next Generation). O Boeing 737-700 substituiu o Boeing 737-300 e foi o primeiro a ser desenvolvido. Os novos modelos têm asas completamente novas, com maior eficiência aerodinâmica, 25% a mais de área e são otimizadas para maiores velocidades e altitudes de cruzeiro. Os 737NG apresentam ainda uma maior capacidade de combustível, em média 30% superior aos modelos correspondentes da geração anterior. As primeiras encomendas para o B737-700 foram feitas pela Southwest em novembro de 1993 e primeiras entregas em novembro de 1997. O 737-700 é concorrente direto do A319 e a disputa é muito acirrada, onde os modelos estão em constante evolução. A Boeing passou a oferecer os chamados Winglets, uma espécie de "dobras" nas pontas das asas, que reduzem o atrito e geram economia de combustível. A versão 700 também ganhou uma versão cargueira, o B737-700C, e uma versão de longo alcance, o 737-700ER (Extended Range). Em 2011 a Boeing anunciou a nova geração da Família Boeing 737, conhecida como 737MAX. O Boeing 737-7MAX será o substituto do Boeing 737-700.
No Brasil a Varig foi a primeira companhia aérea da América Latina a operar o Boeing 737-700 em 1998. Porém a companhia recebeu apenas cinco unidades do modelo, pois a empresa estava com sérias dificuldades financeiras e não tinha dinheiro para pagar por novas aeronaves. Somente com o surgimento da Gol, em 2001, os Boeing 737NG passaram a ser usados em larga escala no Brasil.

Operadoras no Brasil: Gol, Rio Sul, Varig

 

 Joan Martorell
 
 

Origem: Estados Unidos
Produzido: 1997 - hoje
Comprimento:
33,60 m
Envergadura: 34,30 m / 35,80 m (winglets)
Altura: 12,50 m
Peso da aeronave: 38,1 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 69 (77 (ER)) / 58 toneladas
Capacidade de combustível: 26 mil litros
Motores:
2x CFMI CFM56-7B26
Velocidade de cruzeiro: 828 km/h (mach 0.785)
Velocidade máxima: 876 km/h (mach 0.82)
Altitude de Cruzeiro: 12,5 km (41 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 1,6 km / 2,1 km (ER)
Alcance: 6230 km
6
370 km (winglets)
10205 km (ER)
Passageiros: 120 a 140
2 Classes: 120 a 128
1 Classe: 132 a 149
Capacidade de carga (versão C/F): 18,2 toneladas
Tripulação: 6
Primeiro voo: 9 de fevereiro de 1997
Concorrentes:
Airbus A319, CS-Series, CRJ-1000, E-195
Companhia Lançadora: Southwest Airlines
Comparar com outras aeronaves


Fabricados:
1274
Ativos:
1196
Encomendas:
87
Acidentes:
3

 

 

 

Boeing 737-800

Após o lançamento do A320, as vendas dos 737 foram seriamente abaladas. Como resposta a Boeing lançou os Boeing 737NG. O Boeing 737-800 é o substituto do Boeing 737-400 e para muitas empresas aéreas também do Boeing 727. A nova aerodinâmica das asas diminuem o consumo de combustível melhorando o desempenho da aeronave. Os Boeing 737NG podem voar mais rápido e mais longe do que os modelos da geração anterior e oferecem mais conforto para os passageiros. A capacidade de voar em altas altitudes permite que as companhias aéreas voem acima do mau tempo reduzindo as turbulências e fujam dos congestionamentos em rotas com muitos voos. Muitas inovações foram incorporadas do 777, como maior espaço nos compartimentos de bagagem, novos contornos nas paredes da cabine e os novos displays do painel de controle. As primeiras encomendas foram feitas pela empresa charter alemã Hapag Lloyd, que recebeu seu primeiro avião em 1998.
Em fevereiro de 2000 a Boeing começou a oferecer a opção de winglets feitos de carbono grafite como opção para os 737-800. Este avanço permite ao avião voar mais alto e economiza combustível. A primeira companhia a adquirir o 737-800 com este opcional foi a South African. A versão 800 foi a versão de maior sucesso dos Next Generation. O Boeing 737-800 também tem uma versão para a aviação executiva chamada Boeing 737BBJ (Boeing Business Jet). Algumas companhias usam o Boeing 737BBJ para realizar voos somente com classe executiva.
No Brasil, a Varig foi a primeira a operar o modelo e a primeira da América Latina a operar um Boeing 737 com winglets. Mas a grande operadora do modelo no Brasil é a Gol, que em conjunto com a Boeing, criou o Boeing 737-800SFP (Short Field Performance). Essa versão foi feita especialmente para operar em pistas muito curtas como a do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Em poucos anos de operação a Gol se tornou uma das maiores operadoras do Boeing 737 no mundo.
Em 2010 a Boeing entregou para a FlyDubai o primeiro Boeing 737 Sky Interior. Trata-se de um novo interior inspirado no Boeing 787. A aeronave tem janelas e bagageiros maiores, além de luzes LED que mudam a coloração de acordo com a hora.
Em 30 de agosto de 2011 a Boeing anunciou a nova geração da família Boeing 737, chamada de Boeing 737MAX. O Boeing 737-8MAX será o substituto do Boeing 737-800.

Operadoras no Brasil: Gol, Varig, WebJet

 

AirNikon Collection-Pima Air and Space Museum
 
 
 
 Matthias Mai

Origem: Estados Unidos
Produzido: 1998 - hoje
Comprimento:
39,50 m
Envergadura: 34,30 m
 / 35,80 m (winglets)
Altura: 12,50 m
Peso da aeronave: 41,4 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 79/66 toneladas
Motores:
2x CFMI CFM56-7B27
Capacidade de combustível: 26 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 828 km/h (mach 0.785)
Velocidade máxima: 876 km/h (mach 0.82)
Altitude de Cruzeiro: 12,5 km (41 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 2,4 km
Alcance: 5665 km / 5765 km (winglets)
Passageiros: 130 a 160
2 Classes: 148 a 162
1 Classe: 168 a 189
Tripulação: 7
Primeiro voo: 31 de julho de 1997
Concorrentes:
A320, MD-90, CS-Series
Companhia Lançadora: Hapag-Lloyd
Comparar com outras aeronaves


Fabricados: 4301
Ativos:
4228
Encomendas:
684
Acidentes:
11

 

 

 

Boeing 737-900 / Boeing 737-900ER

Para competir com o A321, a Boeing resolveu esticar ainda mais o 737. Em 1997, com uma encomenda de 10 unidades feita pela Alaska Airlines, foi lançado o Boeing 737-900. A empresa o colocou em operação em maio de 2001. Porém o Boeing 737-900 acabou competindo internamente com o Boeing 757-200 e a produção do 757 foi encerrada em 2004. A principal deficiência do 737-900 em relação ao 757 era o alcance. Então em 2005 a Boeing lançou o 737-900ER, desenvolvido com maiores pesos operacionais e com maior alcance. Mesmo assim o 737-900ER tem encontrado dificuldades para ser um substituto ideal do 757. No entanto, com os Boeing 757 ficando cada vez mais velhos, muitas companhias americanas escolheram o 737-900ER como seu substituto, alavancando a venda desse modelo.
Em 2011 a Boeing anunciou a nova geração da Família Boeing 737 e a versão B737-9MAX será o substituto do Boeing 737-900.

 Chris Banyai-Riepl
 

 

Origem: Estados Unidos
Produzido: 2001 - hoje
Comprimento:
42,10 m
Envergadura: 34,30 m
 / 35,70 m (winglets)
Altura: 12,50 m
Peso da aeronave: 44,6 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 85/66 toneladas
Motores:
2x CFMI CFM56-7B
Capacidade de combustível: 29,6 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 828 km/h (mach 0.79)
Velocidade máxima: 876 km/h (mach 0.82)
Altitude de Cruzeiro: 12,5 km (41 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 3,0 km
Alcance: 4996 km / 6045 km (ER)
Passageiros: 170 a 190
2 Classes: 172 a 189
1 Classe: 192 a 215
Tripulação: 8
Primeiro voo: 3 de agosto de 2001 / 1 de setembro de 2006 (ER)

Concorrentes:
A321
Companhia Lançadora: Alaska Airlines
Comparar com outras aeronaves
 
E Modelo: Construídos: Ativos: Encomendas: Acidentes:
B737-900 52 52    
B737-900ER 410 410 101  
TOTAL: 462 462 101 0

 

 

 

Boeing 737-7 MAX

Quando a Airbus lançou a Família A320neo, a Boeing começou a sofrer forte pressão para decidir se remotorizava os seus Boeing 737 ou criava uma família totalmente nova. Porém a Boeing se limitou a dizer que os A320neo apenas fizeram a Família A320 se igualar aos Boeing 737NG. Mas com mais de seiscentas encomendas para a Família A320neo e a American Airlines, sua tradicional cliente, se inclinado a comprar a Família A320, a Boeing acabou cedendo e anunciou uma versão remotorizada dos 737. A American Airlines acabou encomendando tanto os A320 quanto os B737, que incluía a nova versão remotorizada inicialmente conhecida como Boeing 737RE.
Finalmente em 30 de agosto de 2011 a Boeing anunciou oficialmente a família Boeing 737 remotorizada, chamada de Boeing 737MAX. As primeiras entregas devem acontecer em 2017. A Boeing não pretende lançar uma versão para o Boeing 737-600 devido às poucas encomendas dessa versão.
Os novos motores CFM Leap-1B e as mudanças estruturais baseadas no Boeing 787 irão produzir uma redução de até 12% no consumo de combustível em relação aos Boeing 737NG. Segundo a Boeing, os 737MAX também ter custo operacional 7% menor e um consumo de combustível 4% menor do que a Família A320neo.
Especula-se também que a Boeing irá incorporar a tecnologia "Fly-by-Wire" nos B737MAX, a mesma tecnologia usada pela Família A320.
As novidades para o passageiro ficam por conta do "Sky Interior", um interior inspirado no Boeing 787, com luzes LED e maior espaço para bagagem.
A companhia lançadora deverá ser a Southwest Airlines, a mesma companhia lançadora da família Next Generation.
O Boeing 737-7 MAX é o substituto do Boeing 737-700 e é o menor membro da nova família Boeing 737.

 Boeing
 
 

Origem: Estados Unidos
Produzido:
Comprimento: 33,7 m
Envergadura: 35,9 m
Altura: 12,3 m
Peso da aeronave:
Peso máximo decolagem/pouso: 72 toneladas
Motores: 2x CFMI CFM Leap-1B
Capacidade de combustível:
Velocidade de cruzeiro:
Velocidade máxima:
Altitude de Cruzeiro:
Pista mínima para decolagem:

Alcance: 7038 km
Passageiros: 120 a 140
2 Classes: 126
1 Classe: 140 a 149
Primeiro voo:
Concorrentes: Airbus A319neo, Bombardier C-Series, Embraer E195-E2
Companhia Lançadora:

Fabricados: 0
Ativos:
0
Encomendas:
70
Acidentes:
0

 

 

 

Boeing 737-8 MAX / Boeing 737 MAX 200

O Boeing 737-8 MAX é o substituto do Boeing 737-800, atualmente a versão mais vendida. Os novos Boeing 737 MAX contam com novos wingtip e novos motores, garantindo maior eficiência, economia e alcance. O Boeing 737 MAX 200 foi lançado em setembro de 2014 pela Boeing e Ryanair e trata-se de uma versão de alta densidade do Boeing 737-8 MAX, podendo acomodar até 200 passageiros em classe única.

 Boeing
 

 

Origem: Estados Unidos
Produzido:
Comprimento: 35,9 m
Envergadura: 35,9 m
Altura: 12,3 m
Peso da aeronave:
Peso máximo decolagem/pouso: 82 toneladas
Motores: 2x CFMI CFM Leap-1B
Capacidade de combustível:
Velocidade de cruzeiro:
Velocidade máxima:
Altitude de Cruzeiro:
Pista mínima para decolagem:

Alcance: 6704 km
Passageiros: 140 a 170
2 Classes: 162
1 Classe: 175 a 200
Primeiro voo: 29 de janeiro de 2016
Concorrentes: Airbus A320neo, Bombardier C-Series
Companhia Lançadora:

Fabricados: 2
Ativos:
0
Encomendas:
2732
Acidentes:
0

 

 

 

Boeing 737-9 MAX

O Boeing 737-9 MAX é o substituto do Boeing 737-900 e é o maior membro da família Boeing 737MAX. Ele tem sido escolhido para substituir os antigos Boeing 757.

 Boeing
 
 

Origem: Estados Unidos
Produzido:
Comprimento: 42,2 m
Envergadura: 35,9 m
Altura: 12,3 m
Peso da aeronave:
Peso máximo decolagem/pouso: 88 toneladas
Motores: 2x CFMI CFM Leap-1B
Capacidade de combustível:
Velocidade de cruzeiro:
Velocidade máxima:
Altitude de Cruzeiro:
Pista mínima para decolagem:

Alcance: 6658 km
Passageiros: 170 a 200
2 Classes: 180
1 Classe: 192 a 220
Primeiro voo:
Concorrentes: Airbus A321neo
Companhia Lançadora:

Fabricados: 0
Ativos:
0
Encomendas:
415
Acidentes:
0

 

 

atualizado em dezembro de 2016

Aviação Comercial