Douglas DC-1 / DC-2 / DC-3 / C-47

O DC-3 é um dos aviões mais importantes de todos os tempos. Logo após a Segunda Guerra Mundial, mais de 90% do tráfego aéreo era feito com o DC-3.
Em 1931, após um acidente com uma aeronave da TWA, ficou comprovado que a água estragou a madeira que fazia parte da estrutura do avião. Sendo assim ficou proibido o uso de madeira nas asas da aeronave. A Boeing então desenvolveu o Boeing 247. Mas a capacidade de produção da Boeing não era suficiente para a demanda e ela só podia atender a sua principal cliente, a United Airlines. A TWA pediu ao Donald Douglas que fizesse uma aeronave semelhante a da Boeing. No inicio, Donald não achava que haveria vendas suficientes para cobrir os custos do projeto, mas no final acabou aceitando a oferta.
Em 1 de Julho de 1933 o primeiro e único DC-1 (Douglas Commercial 1) decolou pela primeira vez. A aeronave bateu recordes e mostrou-se superior a todas as aeronaves da sua categoria. A TWA aceitou o modelo, mas com a condição de que a capacidade de passageiros fosse aumentada de 12 para 15.
Em Julho de 1934 decolou o DC-2, uma versão alongada do DC-1, como a TWA queria. O DC-2 tornou-se um sucesso de vendas. Mas o melhor ainda estava por vir...
A American Airlines ficou de olho no DC-2 e pediu para a Douglas que fizesse uma versão ainda maior, capaz de realizar vôos transcontinentais.
Em 17 de Dezembro de 1935 voou pela primeira vez o DC-3. Uma versão alongada e melhorada do DC-2. O DC-3 se tornou o modelo preferido por companhias aéreas no mundo todo. O DC-3 popularizou o transporte aéreo nos Estados Unidos e acabou se tornando um fenômeno por ser barato, econômico e confortável. Nesse momento a Douglas passou a ser, de longe, a maior fabricante de aeronaves comerciais do mundo.
Com a Segunda Guerra Mundial, os DC-3 também encontraram o seu espaço. O DC-3 se tornou o C-47 na versão militar. E ao final da guerra, os C-47 foram vendidos "a preço de banana" para as companhias aéreas.
E como se não bastasse ser um sucesso mundial e "vender mais que água", o DC-3 serviu de base para a Douglas produzir os seus sucessores DC-4, DC-5, DC-6 e DC-7.

Operadoras no Brasil: Vasp, Varig, Sadia, Panair do Brasil


 

Comparar com outras aeronaves

 

Modelo: Construídos: Acidentes:
DC-1 1 0
DC-2 199 104
DC-3 10696 2700
Origem: Estados Unidos

(DC-3)
Produzido: 1936 - 1953
Comprimento:
19,65 m
Envergadura: 28,96 m
Altura: 5,16 m
Peso da aeronave: 8 toneladas
Peso máximo decolagem: 12,2 toneladas
Capacidade de combustível: 3,0 mil litros
Motores:
2x PW R-1830-92 Twin Wasp ou Wright R-1820 Cyclone 9 series ou Pratt & Whitney Twin Wasp S1C3G
Velocidade de cruzeiro: 270 km/h

Velocidade máxima: 381 km/h
Altitude de Cruzeiro: 7,1 km
Pista mínima para decolagem: 0,7 km
Passageiros: 30
Primeiro voo: 1935

Concorrentes: Boeing 247, Curtiss C-46

Substituído por: Convair 240/340, Fokker F-27, Saab 90, Douglas DC-4, NAMC YS-11, HS.748
Alcance:
320 a 3296 km

 

Aeronaves Douglas:

DC-4 / DC-5 / DC-6 / DC-7, DC-8, DC-9, DC-10, MD-11, MD-80 / MD-90

 

Aviação Comercial