NAMC YS-11

A história começou quando o governo japonês fez um pedido para um novo turboélice em 1956. Então as principais fabricantes japonesas começaram a trabalhar em projetos para a nova aeronave, com subsídios do governo. Em maio de 1957 as empresas Kawasaki, Fuji, Mitsubishi, Showa, Shin Meiwa e Japan Aircraft, se uniram para formar a NAMC (Nippon Aircraft Manufacturing Company), com objetivo de coordenar seus esforços e trabalhos no desenvolvimento da aeronave. A ideia era criar uma aeronave para 40-60 passageiros, capaz de substituir os DC-3 e competir com aeronaves como o Fokker F-27.
O primeiro voo do NAMC YS-11 aconteceu em agosto de 1962 e entrou em serviço pela TOA Airways em abril de 1965. A primeira versão ficou conhecida como YS-11-100. Em 1967 foi lançada a versão YS-11-200, com maior peso de decolagem. A versão YS-11-300 era a versão "Combi" (metade para passageiros e metade para carga) e a versão YS-11-400 era a versão totalmente cargueira.
Em 1970 foi lançada a versão YS-11-500, com peso de decolagem ainda maior. A versão YS-11-600 é a versão "Combi" e a YS-11-700 a versão totalmente cargueira.
No Brasil o YS-11 foi escolhido pela Vasp e Cruzeiro para substituir o DC-3. A Cruzeiro foi a primeira a operar o modelo no país, no dia 4 de setembro de 1967. A Cruzeiro operou cerca de 12 unidades, enquanto a Vasp operou cerca de 11.

Operadoras no Brasil: Cruzeiro, Vasp

 


Akira Uekawa

Origem: Japão
Produção: 1962-1974
Comprimento: 26,30 m
Envergadura: 32,00 m
Altura: 8,99 m
Peso da aeronave: 20 toneladas
Peso máximo decolagem/pouso: 22,8/21,8 toneladas
Motores: 2x Rolls-Royce Dart RDa.10/1 Mk 542
Capacidade de combustível: 7 mil litros
Velocidade de cruzeiro: 476 km/h
Altitude de Cruzeiro: 6 km (20 mil ft)
Pista mínima para decolagem: 0,9 km
Alcance: 1314-3112 km
Passageiros: 40-60
Primeiro voo: 1962
Concorrentes: Avro 748, Convair 580, Fokker F-27, Vickers Viscount
Companhia Lançadora: TOA Airways
Nº de unidades fabricadas: 182

 

Aviação Comercial