Hawker Siddeley HS 748 / Avro 748

O projeto do HS748 começou em 1958, quando a fabricante Avro decidiu entrar no mercado de aviação civil. O avião foi projetado para substituir o famoso DC-3. Porém ela não foi a única a ter essa idéia ... Outros fabricantes como a Fokker, com o seu F27, estavam tentando reproduzir o sucesso do DC-3. A Avro se concentrou em criar um avião com melhor desempenho em rotas curtas, sendo assim capaz de operar em pequenos aeroportos.
Em 1959 a Avro se tornou parte de outra fabricante, a Hawker Siddeley, e então o projeto ficou conhecido como HS 748. A primeira versão só vendeu 18 aeronaves. Porém a segunda versão, com um maior peso de decolagem, se tornou o maior sucesso de vendas Britânico depois da Segunda Guerra Mundial. Depois vieram as series 2A e 2B  com melhorias em relação à serie 2.  A última versão foi o "Super 748" com melhorias em relação a série 2B e novos motores.

Operadoras no Brasil: Varig
 


AirNikon Collection-Pima Air and Space Museum

 

Origem: Inglaterra
Produção: 1961-1988
Comprimento: 20,42 m
Envergadura: 31,23 m
Altura: 7,57 m
Peso: 12,3 toneladas
Peso máximo de decolagem: 21,0 toneladas
Capacidade de combustível: 7,2 mil litros
Motores: 2x RR Dart 7 Mk 536-2

Velocidade de cruzeiro:
452 km/h
Passageiros: 40 a 58
Altitude de cruzeiro: 7,6 km
Primeiro voo: 1960
Pista mínima para decolagem: 0,8 km
Entregues: 382

Concorrentes: Convair 580, Convair 640, Fokker 27, Curtiss C-46

Alcance: 1715
 km

Comparar com outras aeronaves

 

 

 

De Havilland DH 121 / Hawker Siddeley HS 121 "Trident"

Em julho de 1956 a BEA (British European Airways) pediu um novo avião para substituir o Viscount. A De Havilland então adaptou o projeto do DH119 para as exigências da BEA e o projeto virou DH120 e depois DH121. O DH-121 era um tri jato (três turbinas) com um layout semelhante ao Caravelle. Apelidado de "Trident", o DH-121 era um dos aviões comerciais mais rápidos do mundo, com uma velocidade de cruzeiro perto de mil quilômetros por hora. Porém o grande problema do Trident era que ele atendia exclusivamente as necessidades da BEA. Na década de 60 houve um projeto para uma nova versão, chamada Trident 1A, feita para a American Airlines. Mas esta preferiu comprar o Boeing 727. Mas mesmo assim a De Havilland usou o projeto do Trident 1A para criar o Trident 1C. As principais diferenças do Trident 1C eram o maior tanque de combustível e o maior alcance.
No meio do caminho a De Havilland entrou em colapso financeiro e foi comprada pela Hawker Siddeley, que passou a produzir o DH-121 como HS-121. A Hawker Siddeley propôs uma versão melhorada do Trident 1C, que ficou conhecida como Trident 1E. O 1E tinha algumas melhorias como uma maior aérea nas asas e levava um pouco mais de passageiros, graças a mudanças no interior do avião. Mas apenas dez unidades foram vendidas.
Quando a BEA começou a achar o Trident pequeno de mais para as suas rotas, a Hawker Siddeley lançou o Trident 1F com maior capacidade de passageiros. O 1F acabou incorporando outras melhorias e foi rebatizado de Trident 2E.
Em 1965 a BEA queria um aeronave ainda maior. A Hawker Siddeley ofereceu então duas versões de maior capacidade, conhecidas como HS-132 e HS-134. Mas a BEA acabou escolhendo o Boeing 727.
Mais tarde a BEA voltou a negociar com a Hawker Siddeley e um novo Trident foi lançado. O Trident 3B tinha maior capacidade de passageiros, alterações nas asas e 5 metros a mais de fuselagem. Ao invés de colocar novos motores, a Hawker Siddeley optou por colocar os mesmo motores de antes, mas com um novo motor na cauda. O quarto motor deu 15% a mais de impulso e apenas 5% a mais no peso do avião.
No final das contas o Trident se mostrou um fracasso, visto que o Boeing 727 vendeu mais de mil e setecentas unidades contra menos de cento e vinte do Trident.

 


Udo K. Haafke

 

Origem: Inglaterra
Comprimento: 34,98 m (2E)
Envergadura: 29,87 m
Altura: 8,23 m
Peso: 33,4 toneladas
Peso máximo de decolagem: 64,6 toneladas
Motores: 3x  Rolls-Royce Spey 512 (2E)

Velocidade de cruzeiro: 972
km/h (2E) / 936 km/h (3B)
Passageiros: 115 (2E) / 180 (3B)
Primeiro vôo: 1962
Altitude de cruzeiro: 8 a 11 km
Entregues: 117

Concorrentes: Boeing 727, Tupolev TU-154

Alcance: 4345
 km (2E)

 

 

Aviação Comercial